Patrícia Mamona e Susana Costa ficam longe das medalhas

Saltadoras portuguesas ficaram esta segunda-feira em 9.º e 11.º lugar na final feminina de triplo salto nos Mundiais de atletismo que estão a decorrer em Londres (Reino Unido).

Terminaram sem glória os voos de Patrícia Mamona (9.ª classificada) e Susana Costa (11.ª) na final feminina de triplo salto dos Mundiais de atletismo, que estão a decorrer até domingo em Londres (Reino Unido). Ambas as saltadores portugueses falharam o apuramento para os três derradeiros saltos da luta pelas medalhas.

Patrícia e Susana não foram felizes. Após um salto nulo na primeira tentativa de cada, cedo de se percebeu que dificilmente conseguiram acompanhar a pedalada da venezuelana Yolimar Rojas (14,91 metros), da colombiana Caterine Ibargüen (14,89) e da cazaque Olga Rypakova (14,77), que conquistaram ouro, prata e bronze respetivamente.

Mamona não foi além de 14,12, já Susana Costa ficou-se pelos 13,97 metros. Ainda assim - e embora tivessem ambição para muito mais... -, as duas saltadoras já tinham feito história ao apurarem-se ambas, em simultâneo, para a final - algo muito raro na história do atletismo nacional.

Exclusivos

Premium

Espanha

Bolas de aço, berlindes, fisgas e ácido. Jovens lançaram o caos na Catalunha

Eram jovens, alguns quase adultos, outros mais adolescentes, deixaram a Catalunha em estado de sítio. Segundo a polícia, atuaram organizadamente e estavam bem treinados. José Manuel Anes, especialista português em segurança e criminalidade, acredita que pertenciam aos grupos anarquistas que têm como causa "a destruição e o caos" e não a luta independentista.