Vicente Moura recusa falar sobre medalhas em Londres 2012

O presidente do Comité Olímpico de Portugal (COP) recusa falar, ou escrever, sobre o número de medalhas que Portugal pode conquistar nos Jogos Londres 2012, mas quer que a equipa viaje toda junta, para evitar os erros de Pequim 2008.

Em entrevista à Agência Lusa, Vicente Moura defendeu que nos Jogos de Londres 2012 Portugal deve apresentar uma selecção com maior espírito de equipa: "Uma equipa em que todos se conheçam uns aos outros. Uma equipa que viaje e regresse toda junta, se possível num avião da TAP".
"É preciso ter uma equipa que se conheça entre si a lutar pelos melhores resultados", disse, considerando que tal objectivo "pressupõe colocar nos contratos [de preparação olímpica] algumas obrigações que têm de ser cumpridas pelos atletas e nas quais as federações também devem ser envolvidas".
Para Vicente Moura é preciso combater o que considera um dos maiores defeitos dos portugueses, "o individualismo", facto que, admite, prejudicou a missão aos Jogos Pequim 2008.
Com a reeleição garantida em 2 de Março, o presidente do COP acredita que os resultados em Londres 2012 podem ser melhores que os alcançados na China - embora defenda a necessidade de algumas alterações ao Projecto Pequim 2008 -, mas recusa-se a falar em medalhas.
"De medalhas já me curei. Não cometo os mesmos erros duas vezes. Já ninguém me vai ouvir falar, nem escrever, sobre o número de medalhas. Em Pequim falei demais", disse.
Além de considerar essencial um maior espírito de equipa, Vicente Moura elege como factores de sucesso o apoio profissional de técnicos de renome e a presença permanente no COP de um elemento do Instituto do Desporto de Portugal (IDP).
Segundo o presidente do COP, se as condições financeiras e de acompanhamento dos atletas forem garantidas, aliadas aos Centros de Alto Rendimento que estão a ser criados, Portugal poderá ter "mais atletas, melhores resultados e possivelmente mais modalidades" em Londres 2012.
Vicente Moura considera ainda essencial a presença permanente de um psicólogo no COP, ideia que até agora "não teve receptividade de técnicos e federações", bem como de um nutricionista e de um médico.
"Os atletas não serão obrigados a consultá-los, mas vão saber que estão lá se precisarem de apoio", afirma.
O presidente do COP garantiu que o contrato-programa para os Jogos de Londres 2012 está a ser negociado com o IDP, e poderá ser assinado brevemente.
Nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008, Portugal esteve representado em 16 modalidades, tendo conquistado duas medalhas - uma de ouro e outra de prata -, e sete diplomas, que lhe valeram o 46º lugar entre as 204 representações.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG