Schumacher estava consciente na viagem para a Suíça

O ex-piloto alemão de Fórmula 1 Michael Schumacher, transferido na segunda-feira do hospital de Grenoble para o de Lausanne, estava consciente durante o trajeto, numa operação organizada em total secretismo, e passou a maior parte do tempo de olhos abertos, indicou o jornal suíço 'Blick'.

O jornal entrou em contacto com a empresa de ambulâncias que efetuou a viagem e com o seu responsável, Mathias Volken, que recusou dar pormenores sobre a operação.

A viagem foi organizada pela família de Michael Schumacher com todo o secretismo, segundo o 'Blick'. A empresa foi contratada para transportar um doente de Grenoble para Lausanne, mas não sabia que era o ex-piloto. O contrato tinha sido feito num nome falso.

Os técnicos da ambulância tiveram que entregar os telemóveis quando viram que se tratava de Schumacher, que está muito mais magro depois de 170 dias de hospitalização em Grenoble. O ex-piloto sofreu um acidente na estância de Méribel quando fazia esqui, em dezembro de 2013.

De acordo com o jornal, Schumacher não falou durante o percurso de 200 km entre os dois hospitais, mais comunicou com acenos de cabeça.

O centro hospitalar de Lausanne, onde o ex-piloto está agora internado, fica não só mais perto da casa da família de Schumacher como é reputado pelo seu programa de pesquisa sobre o cérebro.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG