Rafael Reis chegou a sonhar com o título de campeão

Ciclista assume que a medalha de ouro passou-lhe pela cabeça enquanto competia, mas falhou o pódio por 10 segundos, algo que não impede que se considere "um dos melhores sub-23 do Mundo".

Rafael Reis, quarto no contrarrelógio sub-23 dos Mundiais de Ponferrada, disse nesta segunda-feira que chegou a sonhar com o ouro e revelou, emocionado, que este é o seu verdadeiro nível como ciclista.

"Tive bastante esperança. Estive na poltrona bastante tempo. Sonhei. Enquanto estive ali sonhei com a medalha de ouro, sonhei com a medalha de prata, depois sonhei com a medalha de bronze. E o último ciclista, por dez segundos, tirou-me do pódio. Estou um pouco triste, mas dei o meu máximo, estou de consciência tranquila", assumiu Reis.

Apesar de o sonho que foi construindo - o de ser campeão do Mundo - não se ter concretizado, o ciclista do Banco Bic-Carmim está satisfeito por ter demonstrado que é "um dos melhores no Mundo no contrarrelógio na categoria sub-23".

O corredor de Palmela, de 22 anos, recusou culpar as más condições climatéricas registadas durante o seu exercício pela perda do bronze, defendendo que correu debaixo de chuva como todos os outros.

"Dei o meu máximo, arrisquei, os outros arriscaram. Num contrarrelógio não se podem cometer muitos erros, no fim fiz quarto. Estou triste por estar fora do pódio, mas não estou triste comigo", garantiu.

Por ter passado mais de uma hora como primeiro classificado na "poltrona" reservada para os três melhores tempos, Reis teve tempo de falar com "as pessoas mais importantes", aquelas que sempre o apoiaram, que foram ligando para o parabenizar.

"Corri contra mim próprio, queria provar a mim mesmo que conseguia fazer um bom resultado e provar às pessoas que acreditaram em mim que conseguia", revelou.

Emocionado, o bicampeão nacional da especialidade recordou que nos últimos três anos teve "bastantes azares" e lesões que o impediram de "fazer resultados como este".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG