Pistorius descreveu a noite em que matou a namorada

O atleta sul-africano Oscar Pistorius recordou esta terça-feira em tribunal os acontecimentos de 14 de fevereiro de 2013, quando matou a namorada, a modelo Reeva Steenkamp, que terá confundido com um ladrão.

"Antes que me desse conta, tinha disparado quatro tiros", admitiu Pistorius, de 27 anos, no segundo dia do seu depoimento perante o tribunal, onde está a ser julgado desde três de março pelo homicídio de Steenkamp.

O réu contou que acordou devido ao calor e ouviu abrir a janela da casa de banho, para onde se dirigiu armado, tendo depois ouvido um barulho que entendeu como o de "alguém que ia sair da casa de banho" e, nessa altura, disparou.

Quando regressou ao quarto e como não encontrou a companheira na cama pediu ajuda, depois arrombou a porta da casa de banho com um taco de críquete.

Por entre soluços, Pistorius disse ter-se debruçado sobre Reeva Steenkamp. "Ela já não respirava", declarou.

Depois de uma breve suspensão e do seu advogado, Barry Roux, ter dito que Pistorius não estava em condições de continuar o depoimento, a juíza Thokozile Masipa adiou a audiência para quarta-feira.

Durante a manhã, Pistorius tinha contado o quanto amava a namorada e como já tinham começado a falar de um "futuro juntos". Não escondeu que existiam discussões, mas sublinhou que os conflitos eram resolvidos através do diálogo.

A acusação alega que Oscar Pistorius matou conscientemente Reeva Steenkamp depois de uma discussão.

Amputado das duas pernas abaixo do joelho quando tinha 11 meses de idade depois de ter nascido sem os ossos inferiores da perna, Pistorius sempre praticou vários desportos e fez história em 2012 quando se tornou no primeiro amputado a competir nos Jogos Olímpicos, já depois de ter sido campeão nos Paraolímpicos de Pequim em 2008.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG