O belo mundo das 'meninas do pódio'

Cerimónia de consagração que se preze não dispensa a presença das 'meninas  do pódio', jovens que já se tornaram uma das (belas) imagens de marca do ciclismo.

Dão os mais famosos beijinhos de Portugal e espalham beleza e sensualidade por todo o País. As "meninas do pódio", como se auto-intitulam, são uma das imagens de marca da Volta a Portugal em bicicleta e a sua presença já se tornou indispensável na estrutura da prova. Jovens e bonitas, partilham com os ciclistas os saborosos momentos de vitória, sendo parte integrante dos retratos de consagração que ficam para a história do ciclismo nacional.

As peripécias de quem acompanha uma prova desta envergadura, com tantos dias de estrada, são imensas, e nem todas podem ser partilhadas, mas numa conversa com as "meninas do pódio" fica vincado que, à parte do motivo financeiro que as leva a procurar este trabalho extra durante o Verão, estas jovens partilham um enorme orgulho em ser "uma das imagens da Volta".

Ana Rita Maia, natural do Porto, acompanha há oito anos a caravana e confessou ao DN "uma admiração pela modalidade e pelo esforço dispendido pelos ciclistas".

A relação com os atletas é, na maior parte do casos, meramente protocolar, mas com tantos anos a acompanhar a competição foram já criadas afinidades com alguns corredores: "Os que vão frequentemente ao pódio interagem mais connosco. Por exemplo, com o Cândido Barbosa, o Nuno Ribeiro ou Tiago Machado falamos sempre um pouco. Na generalidade são simpáticos e respeitadores", contou a jovem.

Uma outra "menina do pódio", que preferiu não identificar-se, partilhou a opinião de Ana Rita, mas deixou escapar que "às vezes, surgem alguns mais atrevidos… mas nada de especial, até porque é uma cerimónia vista por muita gente".

Para esta jovem, participar na Volta a Portugal é uma "experiência inesquecível" e uma boa forma de descobrir o país de lés a lés.

"Temos a oportunidade de conhecer imensas cidades e lugares, e, mais tarde, trazer a família e os amigos aos locais que mais gostamos, é um privilégio", disse, revelando que tenta lidar da melhor maneira com as saudades de casa: "Para a nossa família é mais fácil, porque nos vêem todos os dias na televisão. Para nós é desgastante, o ritmo é tão intenso, entre viagens e hotéis, que às vezes nem sabemos bem onde estamos…"

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG