Nibali estraga a festa a Sagan e veste a amarela

Italiano da Astana atacou já nos últimos dois quilómetros da segunda etapa e impediu uma chegada ao sprint disputada entre as principais figuras do Tour. Rui Costa e Tiago Machado cruzaram a meta no grupo da frente.

Vincenzo Nibali é o novo dono da camisola amarela da Volta a França, após ter ganho este domingo a segunda etapa, ainda em solo britânico, que ligou York a Sheffield, num total de 201 quilómetros. O italiano da Astana beneficiou do facto de só 21 ciclistas terem resistido na frente da corrida ao sobe e desce constante de um tirada com nove contagens de montanha.

Na última dificuldade montanhosa do dia, o Côte de Jenkin Road (4.ª categoria), os favoritos à geral individual ensairam alguns ataques - Alberto Contador (Tinkoff-Saxo) abriu as hostilidades e Cristopher Froome (Sky) também testou a concorrência -, mas foi já nos dois quilómetros finais, planos, que Nibali, campeão transalpino, acelerou para não mais ser apanhado, cruzando a meta isolado, após pedalar 5.08.36 horas, com dois segundos de vantagem sobre os 20 ciclistas que o perseguiam.

Peter Sagan (Cannondale) era o favorito do dia, até porque o dono da maillot jaune, Marcel Kittel (Giant-Shimano), ficara para trás numa das ascensões da jornada - chegou a 19.49 minutos -, mas o eslovaco foi incapaz de resistir aos sucessivos ataques já nos derradeiros cinco quilómetros. O maior candidato a envergar a camisola verde (símbolo de líder da classificação por pontos) em Paris foi quarto na tirada, atrás de Greg van Avermaet (BMC) e de Michal Kwiatkowski (Omega Pharma-Quick Step), segundo e terceiro colocados, respetivamente.

Entre os favoritos ao triunfo final no Tour, nenhuma surpresa, com Froome, Contador e Valverde (Movistar) a cruzarem a meta em Sheffield com o mesmo tempo.

Quantos aos portugueses, Rui Costa (Lampre-Merida) sentiu algumas dificuldades na última subida - nos últimos 300 metros ainda procurou alcançar Nibali -, mas conseguiu terminar em 14.º. Tiago Machado (NetApp) concluiu a tirada no 18.º posto. Mais para trás, Nelson Oliveira (Lampre-Merida) foi 88.º a 10.31 minutos, Sérgio Paulinho (Tinkoff-Saxo) fechou em 129.º a 14.48 e José Mendes (Net-App) cortou a meta em 163.º a 19.50.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG