Naide Gomes e Nelson Évora pensam no Rio de Janeiro

Os atletas portugueses estão determinados em regressar à competição, depois das lesões que os afastaram dos Jogos Olímpicos de Londres.

Os atletas Naide Gomes e Nelson Évora afirmaram esta quinta-feira que estão com muita vontade de regressar à competição depois das lesões que os afastaram dos Jogos Olímpicos de Londres, referindo que o Rio de Janeiro'2016 está já no horizonte.

"Não estou 100 por cento ainda, foi uma lesão muito grave. Estou a recuperar e vou começar mais a sério em janeiro, mas daqui a um ou dois meses começo a correr. Tudo com muita calma e a pensar na recuperação", disse Naide Gomes.

A atleta portuguesa do salto em comprimento espera estar em condições de competir nos campeonatos do Mundo em Moscovo, em 2013, mas não esquecer os próximos Jogos Olímpicos.

"Queria muito chegar ao Mundiais em agosto, vamos lá ver como é que a recuperação corre. Se correr bem, é óbvio que podem contar comigo, pois o corpo quer sentir adrenalina. Não gosto de pensar muito à frente, vou pensar etapa a etapa, mas, obviamente, o Brasil é um objetivo que gostaria de alcançar", defendeu

Nélson Évora esteve presente na inauguração de um restaurante de Naide Gomes, no Seixal, e também falou sobre o seu regresso.

"A recuperação está feita, já estou livre desse processo e regressei aos treinos a 3 de setembro. Agora quero treinar bem, de forma a estar na época de inverno com alguns bons resultados, mas sei que será um processo longo para ganhar ritmo, pois não tenho competição há um ano, mas estou motivado e com muita fome de prova", afirmou o atleta.

Devido a uma fratura na tíbia esquerda, Nelson Évora não pôde defender em Londres o título olímpico do triplo salto conquistado em Pequim, mas garante que vai fazer tudo para o fazer no Rio de Janeiro.

"Para mim o Brasil serão os Jogos onde vou defender o meu título e num país com língua portuguesa é quase como se jogasse me casa. Não podia ser melhor", defendeu.

Francis Obikwelu foi outros dos ausentes por lesão, explicando que só deve ter alta médica para regressar aos treinos daqui a três meses.

"Estou a recuperar bem e quero voltar a treinar como deve ser, mas os médicos ainda não me deram alta. Disseram que ainda falta três meses para recuperar totalmente, é um processo lento que não me deixa quase nada", explicou.

O velocista quer estar apto a defender o seu título no Europeu, mas garante que, se não conseguir, o próximo objetivo é a presença nos Campeonatos do Mundo de Moscovo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG