Miguel Relvas garante que a prova continuará a ser apoiada

O ministro dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas, defendeu hoje que é preciso "separar o trigo do joio" em matéria de financiamento público aos grandes eventos desportivos, garantindo que o Rali de Portugal será dos que continuará a ser "apoiado".

Pouco depois de ter cumprimentado o francês Sébastien Loeb, octocampeão mundial, e mais alguns dos principais pilotos do Campeonato do Mundo, entre os quais o português Armindo Araújo, Miguel Relvas lembrou que o Rali de Portugal faz "parte do imaginário" de muitos portugueses e possui "um código genético de sucesso".

"É preciso separar o trigo do joio e apoiar os melhores eventos desportivos. O Rali de Portugal tem grande tradição no desporto em Portugal e o Governo vai continuar a apoiar a sua realização", observou o governante, pouco antes da partida para a curta especial em Lisboa, em frente ao Mosteiro dos Jerónimos.

Acompanhado por Alexandre Mestre, secretário de Estado do Desporto e Juventude, Miguel Relvas assinalou que a prova "é a maior competição desportiva periódica que se realiza em Portugal", não se mostrando muito preocupado com a intenção de a Federação Internacional do Automóvel (FIA) reduzir o número de corridas na Europa.

"É difícil existir um bom calendário (no Campeonato do Mundo) sem o Rali de Portugal. O Rali de Portugal fala pela sua história e tradição", observou o ministro dos Assuntos Parlamentares, advertindo que a prova "foi durante muitos anos considerada a melhor do Mundo".

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG