Marc Marquez a um passo de ser o mais jovem campeão

O espanhol da Honda pode tornar-se domingo o primeiro estreante a arrebatar o título em 35 anos, depois do norte-americano Kenny Roberts em 1978

No Grande Prémio da Austrália de motociclismo, 16.ª e antepenúltima prova da categoria de MotoGP do Mundial de velocidade, o "rookie" espanhol, de 20 anos, precisa apenas de ganhar oito pontos ao compatriota Jorge Lorenzo (Yamaha).

Após 15 provas, Marquez soma 298 pontos, contra 255 do campeão mundial em título, sendo que um terceiro espanhol, Dani Pedrosa (Honda) também ainda está na corrida -- matemática - ao título, pois segue a 54 pontos, ainda com 75 por disputar.

"É verdade que é a primeira possibilidade de chegar ao título, mas penso que será muito, muito difícil, porque o Jorge (Lorenzo) esteve muito rápido aqui no ano passado. Ele foi segundo, mas sabemos como era o Casey (Stoner) aqui", disse Marquez.

O jovem de Cervera não se sente pressionado e diz-se pronto para Phillip Island: "Será apenas mais uma corrida para mim. O mais importante é tentar conquistar o título -- não interessa quando. Estou desejoso por rodar aqui com uma MotoGP".

Com 44 pontos de avança, parece, de facto, uma questão de tempo o título de Marquez, depois de uma época sensacional, em que venceu seis corridas e somou ainda cinco segundos lugares e três terceiros, para um total de 14 pódios.

O piloto da Honda, também com oito "poles" e 10 voltas mais rápidas, está, assim, muito perto de repetir os títulos que conseguiu nos 125cc e no Moto2, mas não na época de estreia, mas sim na terceira e segunda épocas, respetivamente.

Campeão em 2010 com uma Derbi e no ano passado ao comando de uma Suter, num cetro, curiosamente, selado em Phillip Island, Marc Marquez estreou-se no Mundial de motociclismo de velocidade no Grande Prémio de Portugal de 2008.

Aos comandos de uma KTM, de 125cc, a aventura mundialista do espanhol teve início no Estoril, a 13 de abril de 2008, tinha Marquez apenas 15 anos e 56 dias.

Nesse ano, tornou-se o mais jovem piloto a conseguir um pódio e uma "pole", mas só viria a conseguir o primeiro triunfo em 2010, já com uma Derbi, em Mugello. Foi a primeira de 10 vitórias, que o levaram ao primeiro cetro Mundial.

Conquistado o título na categoria mais baixa, rumou ao Moto 2 e esteve quase a sagrar-se campeão na estreia, em 2011, com uma Suter, sendo apenas batido pelo alemão Stefan Bradl (Kalex) e por culpa de quedas que não o deixaram lutar pelo cetro.

Mas, na época passada, Marc Marquez conquistou mesmo o título de Moto 2, ao arrebatar nove vitórias, dois segundos lugares e três terceiros, para um total de 324 pontos, mais 73 do que na primeira temporada, na qual já havia vencido sete corridas.

Deu-se, então, o salto para o MotoGP, competição em que teve uma impacto quase imediato, ao vencer logo a segunda corrida do calendário, o Grande Prémio das Américas, tornando-se o mais jovem a consegui um triunfo e um "pole" na categoria rainha.

Também com a ajuda dos problemas físicos de Jorge Lorenzo e Dani Pedrosa e com o italiano Valentino Rossi (Yamaha) incapaz de acompanhar os três espanhóis -- só venceu na Holanda -, Marquez mostrou rapidamente vontade de lutar pelo cetro.

Das intenções à prática, tudo aconteceu muito rapidamente e, nas últimas nove corridas, o jovem da Honda tem estado imparável, com cinco triunfos e quatro segundos lugares, rumo a um cetro que parecia, à partida, improvável e é, agora, quase uma realidade.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG