Kobe Bryant de gala na noite de homenagem a O'Neil

Os Lakers venceram os Mavericks, adversários diretos na luta pelo acesso aos play-off, por 101-81. O 'Black Mamba' esteve inspirado e ainda comoveu o antigo companheiro ao discursar ao intervalo.

Os Los Angeles Lakers retiraram na madrugada desta quarta-feira a camisola de Shaquille O'Neal, colocando o dorsal 34 junto a outros imortais da NBA, como Wilt Chamberlain, Kareem Abdul-Jabbar ou Magic Johnson.

A cerimónia decorreu no intervalo do encontro entre os Lakers e os Dallas Mavericks, que os californianos venceram por 101-81, com a preciosa colaboração de Kobe Bryant, que registou o 19.º triplo-duplo da carreira, com 23 pontos, 11 ressaltos e 11 assistências.

Companheiro de equipa de O'Neal no tricampeonato conquistado entre 2000 e 2002, o 'Black Mamba', como também é conhecido, ofereceu a melhor homenagem ao poste. Ao intervalo, na cerimónia, dirigiu-se à figura da noite como "agraciado com o maior dom físico" que alguma vez testemunhou.

"Fizeste algo histórico nesta cidade. Jogaste em outras equipas, mas sempre te recordarão por teres jogado aqui. Oficialmente passaste a imortal. Mereces. Desfruta", disse Bryant durante a cerimónia que decorreu no intervalo da partida.

Para O'Neal, que deixou o basquetebol em meados de 2011, foi "genial" merecer esta homenagem tão pouco tempo depois da sua retirada. "É uma honra. Estou orgulhoso. Também quero agradecer aos meus seis filhos por aguentarem os meus horários, as minhas enormes sestas e os seus abraços depois das derrotas e dos momentos mais difíceis", afirmou o antigo poste, agora com 41 anos.

Voltando ao jogo, outros dois jogadores dos californianos fizeram questão de deixar as suas marcas no dia dedicado a O'Neal. Dwight Howard (24 pontos e 12 ressaltos) e Earl Clark (17 pontos e 12 ressaltos) secundaram Bryant com dois duplo-duplos e contribuíram para o 39.º triunfo da fases regular do conjunto, que tem igual registo que os Utah Jazz - oitavos da Conferência Oeste -, embora a formação de Salt Lake City conserve o lugar atendendo aos critérios de desempate da NBA.

Já os Mavericks, do alemão Dirk Nowitzki, que esteve longe do seu melhor (conseguiu apenas 11 pontos), complicaram as contas dos play-off, pois somam 36 triunfos e 38 desaires, estando agora mais longe dos Jazz e dos Lakers.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG