Jogadores querem que Donald Sterling venda os Clippers

Na sequência de comentários discriminatórios de Donald Sterling - numa conversa privada -, o Sindicato de Jogadores da NBA exige que o magnata venda a franquia dos LA Clippers.

O sindicato dos jogadores da Liga Norte-americana de Basquetebol (NBA) pediu na terça-feira que o proprietário dos Los Angeles Clippers, Donald Sterling, seja forçado a vender a franquia, após os comentários racistas que proferiu.

Sterling foi banido para sempre da NBA e multado em 2,5 milhões de dólares devido a comentários racistas, mas os representantes dos jogadores querem que o dono dos Clippers se desvincule da propriedade da equipa.

"Os jogadores querem, quanto antes, que a NBA determine um calendário de procedimentos que forcem Sterling a vender a equipa", afirmou Roger Mason Jr., vice-presidente do sindicato.

O mesmo responsável lembrou que os jogadores admitiam boicotar os jogos dos "play-off" caso o comissário da NBA, Adam Silver, não aplicasse qualquer castigo a Sterling, o que acabou por acontecer.

"Não queríamos que toda a pressão incidisse sobre os nossos colegas Chris Paul e Blake Griffin como representantes dos Clippers. Estávamos prontos para boicotar os jogos", revelou Mason Jr.

O vice-presidente do sindicato acrescentou que o castigo aplicado a Sterling é apenas "metade" das exigências dos jogadores e insistiu na venda do "franchise", atualmente avaliado em 575 milhões de dólares.

Numa conversa difundida pelo portal norte-americano TMZ, Sterling pede à sua namorada que não torne pública a sua relação com negros e não os leve aos jogos no pavilhão dos Clippers, depois de ela ter publicado no Instagram uma foto em que aparece ao lado de Magic Johnson, antiga estrela dos Lakers.

As palavras do empresário de 80 anos de idade causaram revolta juntos de atuais e antigos jogadores, treinadores e dirigentes da NBA e até o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, condenou o comportamento do dono dos Clippers.

Com esta suspensão vitalícia, Sterling está impedido de frequentar jogos e treinos de equipas da NBA, não pode entrar nas instalações dos Clippers e está impossibilitado de tomar qualquer decisão no "franchise" (franquia).

O empresário, dono da equipa de Los Angeles desde 1981, terá ainda que pagar 2,5 milhões de euros (cerca de 1,8 milhões de euros).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG