João Costa a uma décima da final de pistola a 50 metros

O atirador ficou em 9.º lugar na sua derradeira prova nos Jogos Olímpicos de Londres, depois de ter ficado em segundo no desempate que apurava último de oito finalistas

O atirador João Costa falhou este domingo a final de pistola a 50 metros dos Jogos Olímpicos de Londres por uma décima no "desempate", mas foi no 59.º e penúltimo tiro da qualificação que levou um "pontapé na barriga".

"Senti um pontapé na barriga. Senti... ui, já está, já fiz asneira. Ainda faltava um tiro e não podia sentir mais nada, porque tinha de me dedicar ao último tiro. No último, se tivesse feito um 10, iria à final. Portanto, não posso acusar o 6, é o conjunto da prova que conta", comentou o sargento-ajudante da Força Aérea.

O português chegou a estar em terceiro na qualificação, mas, na sexta e última série de 10 disparos, surgiu o "tiro fatal", um seis, que o atirou para 11.º, com 559 pontos, fora dos oito primeiros apurados.

"Estava a pensar na técnica que costumo usar, não estou a dizer que foi um erro de pensamento, foi um erro físico, digamos assim", explicou João Costa, ao ser interrogado sobre o que lhe passava pela cabeça no momento do disparo.

No cômputo geral, e após o sétimo lugar em Pistola de Ar Comprimido a 10 metros (com diploma), no primeiro dia dos Jogos de Londres2012, João Costa fez um balanço positivo da sua quarta experiência olímpica.

"Acho que é excelente prestação tendo em conta as circunstâncias nacionais de treino, mas a idade e a experiência também ajudam. Aguentamos melhor, já estamos mais calejados com a pressão", referiu o mais velho dos atletas portugueses na capital inglesa, com 47 anos.

O tiro português fecha assim a sua participação nos Jogos de Londres. Joana Castelão foi a representante no setor feminino, tendo feito um 15.ª em Pistola de Ar Comprimido a 10 metros e 33.ª em Pistola Livre a 25 metros.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG