Jéssica Augusto foi 6ª e a melhor não africana em Londres

Portuguesa fez a segunda melhor marca nacional de sempre na maratona, a menos de um minuto de Rosa Mota. Dulce Félix foi oitava

A portuguesa Jéssica Augusto classificou-se este domingo em sexto lugar na Maratona de Londres, com um novo recorde pessoal de 2:24.25 horas, a segunda marca nacional de sempre, em prova ganha pela queniana Edna Kiplagat e em que as cinco primeiras atletas foram africanas.

A outra portuguesa em prova, Dulce Félix, foi oitava, com 2:26.46, a pouco mais de um minuto do seu recorde pessoal, enquanto Kiplagat gastou 2:20.20, terminando dois segundos à frente da compatriota Florence Kiplagat e com 14 de vantagem sobre a etíope Tirunesh Dibaba, campeã mundial e olímpica dos 10.000 metros.

Jéssica Augusto fez uma prova cautelosa, com uma segunda metade mais rápida do que a primeira: passou à meia-maratona em 1:12.33 e fez a segunda metade em 1:11.52, melhorando em oito segundos o seu recorde pessoal, que fora conseguido na sua estreia, em Londres, há três anos, com 2:24.33.A

Agora detentora da segunda marca nacional de sempre, a seguir ao recorde de Rosa Mota, 2:23.29 horas, fixado em Chicago, em 1985, a atleta de Braga ultrapassou a ucraniana Tatyana Gamera-Shmyrko antes dos 40 km, classificando-se como a melhor não africana na prova.

Tal como Jéssica Augusto, Dulce Félix cedo ficou isolada e, embora não muito distante, foi perdendo terreno. No final, foi oitava a um minuto e seis segundos do seu melhor, conseguido na Maratona de Nova Iorque, em 2011, e terminou à frente da etíope Tiki Gelana, campeã olímpica.

Campeã mundial em 2013, Edna Kiplagat conseguiu finalmente ganhar a Maratona de Londres, depois de ter sido segunda em 2012 e 2013. Derrotou na parte final, e por escassos dois segundos, a sua compatriota Florence Kiplagat, recordista mundial da meia-maratona e vencedora da Maratona de Berlim em 2013.

A vencedora do ano passado, a também queniana Priscah Jeptoo, desistiu ainda antes dos 30 km.

ARC // PA

Lusa/fim

Este texto da agência Lusa foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG