Técnico e Belenenses carimbam meias-finais

Técnico e Belenenses qualificaram-se para as meias-finais da Divisão de Honra, a disputar no próximo sábado, ao baterem, esta tarde, respetivamente, a Académica (47-15) e Agronomia (26-8). A caminho da final, os engenheiros vão agora defrontar o CDUL, enquanto os azuis medem forças com Direito. Também derrotados esta tarde, CR Montemor e CRAV (este derrotado por um drop contra uma penalidade - após dois prolongamentos e morte súbita!) vão disputar entre si a permanência.

Perante uma Académica que surgiu no Jamor 'dizimada' pelos festejos da Queima das Fitas - apenas apresentou 17 jogadores no boletim de jogo (para lá de lesionados numa garraiada, alguns foram mesmo tirados da cama à força...) em 23 possíveis, alinhando assim com tão-só dois suplentes! - o Técnico mostrou a razão de ter somado mais 43 pontos que os pretos nas 20 jornadas da fase regular e despachou a equipa de Coimbra por 47-15.

Os visitantes até entraram melhor e enquanto tiveram forças equilibraram a partida (3-3). Mas quando, ao quarto de hora, o ponta André Aquino fez o primeiro ensaio da tarde, a resistência dos estudantes caiu como castelo de cartas. E até ao intervalo os engenheiros, em velocidade de cruzeiro, marcariam mais quatro ensaios, atingindo o descanso a vencer por folgados 34-3.

Na 2.ª parte o Técnico travou às quatro rodas, limitando-se a gerir o resultado (quase que parecia serem os seus jogadores que tinham andado na Queima...), pois a presença nas meias-finais estava há muito garantida e a Académica aproveitou para, com ensaios de Eduardo Salgado e Sérgio Franco, reduzir para 34-15, aos 65'. Mas esse seria o 'cantar do cisne' dos fatigados homens de Coimbra, pois sentindo o aproximar do resultado, a equipa das Olaias acelerou um pouco o ritmo e com toda a facilidade construiria dois lances concluídos por Fabien Arnaud e António Marques, que selavam os definitivos 47-15.

Na Tapada desde o início se percebeu que só o Belenenses poderia vencer e avançar na prova, pois os azuis foram sempre o conjunto mais inteligente e focado no objetivo de seguir em frente, com os seus jogadores a mostrarem superior empenho, perante uma Agronomia que alinhou com as suas linhas atrasadas todas remexidas (Serra a abertura, Murteira como defesa, Mira a 1.º centro...).

A partida foi equilibrada até à meia-hora, quando ensaios de Sebastião Cunha e Tomás Azar empatavam o jogo a 8-8. Mas os derradeiros 10' do 1.º tempo foram de domínio azul, com Manuel Costa a converter uma penalidade e William Hafu a combinar com o sul-africano Odendaal e alcançando um ensaio com a sua marca, para 18-8 ao intervalo.

No início da 2.ª aparte a equipa da casa ocupou durante largos períodos a área adversária, mas houve sempre a sensação de que, perante a coesa e solidária defesa de Belém - com destaque para Miguel Fernandes, exímio na luta subterrânea pela bola, e o 'tanque' Hugo Valente -, dificilmente uma Agronomia sem imaginação nem um patrão em campo (Duarte Cardoso Pinto estava na bancada...), marcaria um ensaio que fosse, mesmo jogando 10' com um homem a mais por amarelo ao médio de formação Manuel Machado.

E quando aos 66' o n.º 8 Sebastião Cunha - o melhor em campo - furou pela defesa contrária obtendo o seu segundo ensaio da tarde (23-8), o triunfo ficava selado, pois os agrónomos mostravam não ter forças, nem conjunto, para dar a volta ao resultado. E o jogo terminaria com Manuel Costa a converter uma penalidade para os finais 26-8, impedindo Agronomia de aceder às meias-finais - o que acontece pela primeira vez desde que o campeonato é assim disputado, há nove épocas (aliás, a equipa da Tapada era a única que nunca falhara esta fase!).

Na luta pela permanência, o Cascais derrotou em casa o RC Montemor, por 27-15.E em Leça da Palmeira, após uma igualdade ao intervalo entre CDUP e CRAV (13-13), foi preciso recorrer a dois prolongamentos (respetivamente de 20 e 10 minutos) e morte súbita, tendo as duas equipas permanecido empatadas, pois ambas fizeram mais 3 pontos cada. Mas dado os portuenses terem conseguido os seus através de um pontapé de ressalto, contra uma penalidade, venceram o encontro, atirando com a equipa de Arcos de Valdevez para a luta pela manutenção, com alentejanos e minhotos a discutirem entre si, numa só partida, qual a equipa que irá descer de divisão.

Últimas notícias

Brand Story

Tui

Mais popular

  • no dn.pt
  • Desporto
Pub
Pub