Mesmo sem neve já se faz cá esqui

João Marques e Jorge Gonçalves serão os representantes de Portugal no Campeonato do Mundo de Esqui Alpino, que decorrerá na estância alemã de Garmisch-Partenkirchen entre os dias 7 e 20 de Fevereiro.

Improvável ainda não há muitos anos, a presença dos dois atletas na competição acaba por reflectir o crescente interesse que os desportos de Inverno têm suscitado entre os portugueses.

João Marques, de 18 anos - que ainda poderá participar no Mundial júnior do próximo ano -, e Jorge Gonçalves, de 40, já veterano, vão competir nas provas de slalom e slalom gigante e têm como objectivo chegar o mais longe possível numa competição que reunirá a elite mundial.

Após ter estado presente em dois mundiais de juniores, em Formigal, Espanha (2008), e Chamonix (2010), João Marques, campeão nacional absoluto em todas as disciplinas do esqui alpino, tem cumprido um programa de treinos à altura da "responsabilidade" de levar a bandeira nacional a uma competição deste nível.

Os dois atletas viajam para a Alemanha no dia 14 e tentarão a sua sorte em duas provas de qualificação. No caso de conseguirem classificar-se entre os 25 melhores, terão acesso às finais que encerrarão o campeonato, no dia 20.

"Tenho treinado muito o slalom e talvez tenha possibilidades de chegar à final, o que seria um resultado extraordinário", confessa João Marques, garantindo que se empenhará fortemente nas qualificações, até porque bons resultados lhe permitirão reduzir o número de pontos atribuídos pela Federação Internacional de Esqui (FIS). O atleta da Covilhã, que tem concentrado o seu programa de treinos fora do país, já que as condições na serra da Estrela têm sido muito reduzidas, por falta de neve, quer diminuir os actuais 249 pontos no slalom, para 200 e dos 300 para os 200 no slalom gigante.

João Marques iniciou-se no esqui aos quatro anos, começou a competir aos 12 e já tem motivos para se orgulhar de uma promissora carreira desportiva, num país com fracas condições para a prática da modalidade.

"No ano passado consegui ir aos Mundiais Juniores e chegar este ano aos Mundiais é excelente", afirma garantindo que continuará a trabalhar para evoluir.

"Tenho treinado em Espanha, principalmente em La Molina, nos Pirenéus Catalães", explica o esquiador, que não descura o plano académico, encontrando-se a completar o ensino secundário.

A grande evolução na modalidade acabaria por surgir - a par das iniciativas promovidas pela Federação de Desportos de Inverno de Portugal - com a possibilidade de treinar com atletas de nível e condições técnicas que não existem em Portugal.

"A minha grande oportuni- dade surgiu em 2009, quando integrei, na Áustria, um estágio promovido pela Federação Internacional de Esqui, em que foram seleccionados 18 atletas de um lote de 90", reconhece João Marques, que, entretanto, tem per- corrido várias estâncias e competições, pontuando com regularidade para o ranking internacional.

Embora contando com a ajuda possível da Federação, é a ajuda dos pais, também adeptos de desportos de Inverno, que tem tornado esta evolução possível.

"A oportunidade de participar numa prova destas e o facto de estar a representar o País é para mim quase uma renumeração", refere, sublinhando algumas situações um pouco "insólitas", que tem encontrado no contacto com outros esquiadores em provas internacionais: "O esqui tem estado a crescer em Portugal, mas, mesmo assim, é frequente atletas de países com tradições namodalidade virem falar comigo e perguntarem como é possível estar ali, vindo de um país... com tantas praias."