Garrett McNamara espera boas ondas na Nazaré

Havaiano está de novo em Portugal à procura de boas condições para surfar.

O surfista havaiano Garrett McNamara regressou esta quarta-feira a Portugal, que considera a sua "segunda casa", com a expectativa de reencontrar boas ondas na Praia do Norte, na Nazaré.

À chegada a Lisboa, McNamara, de 46 anos, disse esperar uma boa ondulação na praia nazarena no próximo fim de semana, aguardando, no entanto, "ondas maiores".

"O vento vai estar um pouco forte no sábado, mas no domingo pode haver uma boa ondulação, não na melhor direção, aquela que todos queremos, mas pode dar para surfar", explicou McNamara, que prevê permanecer em Portugal até dia 18 de fevereiro.

Durante a sua estada, o havaiano vai experimentar umas novas pranchas construídas pela Mercedes.

"Mal posso esperar para ver a tecnologia que aplicaram nas pranchas, porque quando surfas nas ondas gigantes da Nazaré vais mais rápido do que alguma vez foste e as pranchas não funcionam. Estou muito feliz e agradecido por terem construído uma prancha para andarmos mais rápido. O plano é que sejam as pranchas mais rápidas, que permitam surfar à velocidade que as ondas da Nazaré oferecem", explicou.

Praticamente indiferente às questões levantadas recentemente sobre as autorizações para a prática de "tow-in" na Nazaré, McNamara revelou esperar "as mesmas condições de sempre, desde 2011", admitindo que as inibições impostas se ficaram a deve a impreparação dos surfistas e não ao acidente com a brasileira Maya Gabeira, ocorrido a 28 de outubro de 2013.

"Foi uma grande infelicidade o que aconteceu, penso que não há nada a fazer sobre isso, mas penso que serviu para que as pessoas abrissem os olhos e vissem quão fantástica é a Nazaré", frisou.

A 1 de novembro de 2011, McNamara bateu pela primeira vez na Praia do Norte o recorde da maior onda surfada, com um registo certificado pela Guiness World Records. Esta mesma onda valeu-lhe o prémio de maior onda da competição Billabong XXL Global BigWave Awards.

O havaiano continuou a tentar a sorte na Nazaré, tendo surfado, a 28 de janeiro de 2013, uma onda que se acredita possa ter chegado aos 30 metros. No entanto, McNamara retirou-a do concurso da Billabong, por ser "fortemente contra" o consumo de álcool e aquele ser patrocinado pela cerveja mexicana Pacífico.

Na altura, McNamara realçou o seu gosto pelo surf, considerando que não necessitava que um painel da Billabong medisse a dimensão da onda.

A 28 de outubro de 2013, o brasileiro Carlos Burle e o britânico Andrew Cotton surfaram ondas que se consideram passíveis de superar a de janeiro de McNamara.

"Eu sinto-me mais tranquilo do que nunca, sinto-me bem com tudo, muito confiante, não tenho qualquer expectativa, tal como da primeira vez que vim, e quando tens esse sentimento e não esperas nada é tudo muito gratificante", rematou o havaiano.