Fábio é bom de bola e faz truques incríveis

Jovem de 21 anos participa pela terceira vez no Mundial de freestyle e mostrou ao DN o seu truque preferido e muitos outros. Veja o vídeo.

Fábio Simões até pensou que estava a sonhar quando soube que lhe tinha sido atribuído um "wild card" para regressar à final do Mundial de Streetsyle. O bicampeão nacional de freestyle acredita que a experiência adquirida na competição na África do Sul (2010) e em Itália (2012) pode ajudar a conseguir ultrapassar a fase de grupos.

E esse é o seu principal objetivo. Caso consiga estar entre os 16 melhores do mundo, então vai lutar pelo "melhor resultado possível". "Quando me telefonaram [a avisar do wild card] estava a dormir e pensei que estava a sonhar", confessou ao DN. Fábio Simões, de 21 anos, treina todos os dias cerca de duas horas para enfrentar alguns dos melhores freestylers do mundo.

No Red Bull Street Style, que se realiza entre 14 e 16 de novembro em Salvador da Bahia, no Brasil, vão estar atletas de 41 países, desde a Albânia ao Panamá, do Egito ao Quénia, de Singapura à Índia, a diversidade é muita. Para Fábio, países como a Noruega, Argentina, Inglaterra, Colômbia, Itália e Brasil têm alguns dos atletas com maior qualidade.

Para preparar os seus truques e combinações, o jovem português explicou que vê vídeos para procurar ideias. "Nesta fase tenho de ter as minhas próprias combinações. Lá fora é o que surpreende o júri. Não tenho truques novos, mas tenho combinações novas. Isso é que é importante", salientou.

Foi por volta dos 13 anos que Fábio Simões descobriu o freestyle. Na altura o jogador brasileiro Ronaldinho brilhava na internet com os vídeos 'Joga Bonito'. Fábio e um amigo não perderam tempo e começaram a tentar fazer alguns truques com a bola. O amigo mudou de cidade, mas Fábio continuou com a sua paixão e hoje é freestyler profissional, sem nunca ter pensado em mudar-se para o futebol. "Jogo com os amigos", disse, realçando que eles não levam a mal quando faz algum truque.

Fábio Simões ambiciona ter a possibilidade de realizar mais competições internacionais, sendo esse uma das grandes diferenças que tem para a maioria dos atletas que vão competir entre sexta-feira e domingo no Brasil. "Eles participam em várias provas [internacionais] por ano, eu vou a uma de dois em dois anos."

Quanto à modalidade em Portugal, Fábio referiu que "está a crescer, tanto em nível como em adeptos". Considera mesmo já existir "um bom nível de competição".

No Brasil, Fábio Simões vai ter não só de defrontar alguns dos melhores do mundo, como terá de convencer referências do freestyle mundial que foram escolhidas para o júri. Este será liderado por Raí, antiga estrela do futebol brasileiro, que representou várias equipas no país e na Europa o Paris Saint-Germain, tendo como principal título na carreira o Campeonato do Mundo de 1994 com a seleção canarinha. Destaque ainda para Séan Garnier, antigo campeão do mundo de freestyle e um dos atletas da modalidade mais conhecidos mundialmente.

Ler mais

Exclusivos