Inspiração argentina deixa Spurs a um triunfo do título

Titular pela primeira vez na temporada, Manu Ginobili foi a figura no triunfo da equipa de San Antonio sobre os Miami Heat no quinto jogo das Finais

Os San Antonio Spurs colocaram-se domingo a um triunfo do quinto título da Liga norte-americana de basquetebol profissional (NBA), ao receberem e baterem os campeões Miami Heat por 114-104, no quinto jogo da final.

Manu Ginobili, titular pela primeira na presente temporada, obteve 24 pontos e 10 assistências e foi a chave do terceiro triunfo dos Spurs (3-2), que precisam agora de vencer em Miami, no sexto encontro ou, caso não o vençam, na "negra".

"Sabíamos da importância do jogo, que tínhamos de ganhar, pois se não o conseguíssemos tínhamos de vencer os dois jogos em Miami. Agora falta um", disse o argentino, que jogou 33 minutos e acertou oito de 14 lançamentos de campo e sete de oito lances livres.

Os cinco titulares estiveram, aliás, todos a grande nível, com Danny Green a marcar 24 pontos e mais seis "triplos", elevando a sua conta na final para 25, um novo recorde, e o francês Tony Parker, mesmo lesionado, a alcançar também 24 pontos.

Por seu lado, Tim Duncan contribuiu com 17 pontos e 12 ressaltos e Kahwi Leonard com 16 pontos e oito ressaltos, o que significou que os integrantes do "cinco" marcaram 107 dos 114 pontos da equipa, mais do que toda a equipa dos Heat.

Os Spurs acabaram o encontro com 60 por cento nos lançamentos de campo, com 42 convertidos em 70 tentados, contra apenas 43,0 dos forasteiros (37 em 86), que nunca lideraram o marcador e só estiveram empatados no início (2-2, 4-4 e 17-17), embora, mais tarde, tenham estado a um ponto (61-60 e 75-74).

Nos Heat, LeBron James (25 pontos, oito assistências e seis ressaltos) esteve muito bem na primeira parte, mas "eclipsou-se" na segunda, enquanto o "renascido" Dwyane Wade (25 pontos e 10 assistências) deu continuidade à grande exibição do embate anterior.

Chris Bosh, o outro componente do "big 3", juntou 16 pontos e seis ressaltos, enquanto Ray Allen, que perdeu para Danny Green o recorde de "triplos" numa final (22), saltou do banco para marcar 21 pontos, embora 15 na parte final, com o jogo decidido.

Apesar de sempre com os Spurs na frente, graças a uma entrada em grande no jogo do titular Ginobili, o encontro foi equilibrado nos primeiros 7.15 minutos (17-17), altura em que os locais iniciaram a primeira fuga, com um parcial de 15-2.

Os comandados de Popovich fecharam o primeiro período a vencer por 32-19 e no início do segundo conseguiram aumentar a vantagem até aos 17 pontos (45-28 e 47-30).

O encontro parecia pronto a decidir-se muito cedo, mas os Miami Heat reagiram e, num ápice, encurtaram a diferença para cinco pontos (47-42 e 49-44). Os Spurs voltaram porém, à carga, e fecharam a primeira parte com nove à maior (61-52).

Melhores no início da segunda parte, os forasteiros chegaram-se a um ponto (61-60), margem que, após mais uma "fuga" dos Spurs (68-60 e 70-62), repetiram a 3.05 minutos do final do terceiro período (75-74).

Foi, então, que o jogo se decidiu: nos 5.52 minutos que se seguiram, os texanos conseguiram um parcial de 21-2, iniciado com um "triplo" de Green, seguido de nove pontos e uma assistência de Ginobili, conquistando um avanço de 20 pontos (96-76).

Com Ray Allen a acertar uma série de "triplos", os Miami Heat ainda acreditaram na reviravolta quando a diferença voltou a baixar dos pontos (109-101), mas, então, um lançamento de Parker e um "triplo" de Green acabaram, em definitivo, com o jogo.

A final da NBA prossegue terça-feira, em Miami, onde o triunfo dos Spurs acaba com a final, selando o quinto título do conjunto de San Antonio, após 1999, 2003, 2005 e 2007, e uma vitória dos Heat força a "negra", no mesmo local, dois dias depois.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG