Frank Schleck acusa positivo no controlo anti-doping

O ciclista luxemburguês (RadioShack) foi alvo de um controlo anti-doping que resultou positivo num diurético, anunciou esta terça-feira a União Ciclista Internacional (UCI).

"O regulamento anti-doping da UCI não prevê a suspensão temporária devido à natureza da substância, que é uma substância específica", disse a federação internacional.

A sanção que Schleck enfrenta pode ir de uma reprimenda, sem nenhum período de suspensão, e dois anos de suspensão, por se tratar de uma substância específica. De acordo com o Código mundial de anti-dopagem, quando um atleta ingere ou tem na sua posse uma substância específica, mas essa substância não se destina a melhorar o redimento desportivo do atleta, a pena pode ser minimizada para uma reprimenda sem suspensão ou poderá ir até aos dois anos de suspensão.

A substância nociva (o diurético Xipemide) foi detetada num teste de urina, analisado pelo Laboratório Nacional de Chatenay-Malabry. De acordo com os especialistas, o Xipemide é utilizado para o tratamento de edemas e hipertensão. Contudo, os diuréticos são suspeitos de ser tomados como complemento às transfusões de sangue.

"No entanto, a UCI está confiante que a a equipa [RadioShack] tome as medidas necessárias para garantir a serenidade da Volta a França e, ao mesmo tempo, proporcionar ao ciclista o tempo necessário para preparar a sua defesa", afirmou a mesma entidade.

Após 15 etapas, Frank Schleck mantém o 12º lugar na geral, 9 minutos e 45 segundos atrás do camisola amarela (Wiggins). O ciclista da RadioShack terminou a edição de 2011 da Volta a França em terceiro lugar.

O controlo foi efetuado a 14 de julho, no dia da etapa de Cap d'Agde.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG