Brito e Gil com adversários ao alcance na ronda inaugural

Michelle Brito e Frederico Gil, os dois tenistas portugueses presentes no quadro principal do Open dos Estados Unidos, quarto e último "Grand Slam" da temporada, estreiam-se segunda-feira com boas perspectivas de sucesso.

Em femininos, Michelle Brito, de apenas 16 anos, defronta a francesa Mathilde Johansson, uma jogadora mais experiente no circuito, mas que disputará apenas o segundo Open dos Estados Unidos, tendo ficado pela ronda inaugural no ano de estreia, em 2007.

A gaulesa, que nunca conquistou um título do circuito principal mas já conta com sete títulos ITF (segundo escalão), figura actualmente entre as 100 melhores do Mundo (97.ª), mas já esteve no grupo das primeiras 60 do WTA Tour, em Abril deste ano (59.ª).

Se Johansson disputa o 10.º "Grand Slam" da carreira, nunca tendo passado da segunda ronda, Michelle Brito entra pela terceira vez no quadro de um dos quatro "majors" do ténis mundial, embora já tenha no currículo uma prestação melhor que a sua adversária da jornada inaugural, pois este ano chegou à terceira eliminatória de Roland Garros.

No quadro masculino, Frederico Gil tem, teoricamente, todas as condições de superar a ronda inaugural, onde defronta o indiano Somdev Devvarman, jogador proveniente do "qualifying" e que disputará pela primeira vez um torneio do "Grand Slam".

A cumprir apenas o segundo ano como profissional, Devvarman, de 24 anos, já chegou a figurar esta temporada no 127.º posto do "ranking", mas ocupa actualmente o 161.º lugar, bem abaixo de Gil, que é actualmente o 110.º do Mundo (foi 66.º em finais de Maio).

Entre as grandes figuras desta edição, o suíço Roger Federer, mais uma vez sem rival no circuito masculino, procura o sexto título consecutivo em Nova Iorque, um objectivo também perseguido pelo clã Williams na prova feminina.

Federer correrá para o 16.º título do "Grand Slam", pouco mais de dois meses depois de ter batido o recorde do norte-americano Pete Sampras, quando ganhou pela sexta vez em Wimbledon.

Pelo lado das irmãs Williams, a mais nova, Serena, luta pela revalidação do título ganho em 2008, que representaria a quarta vitória em "casa", enquanto a mais velha, Venus, quer igualar a irmã em número de troféus.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG