Arredondo prolonga festival colombiano no Giro

Julián Arredondo (Trek) comprovou esta quinta-feira que a 97.ª Volta a Itália é um assunto de ciclistas colombianos, ao vencer a 18.ª etapa, no alto de Panarotta, à frente do seu compatriota Fabio Duarte (Colombia).

Dúvidas houvesse - e não seriam muitas já que o primeiro e segundo da geral individual, ou seja, Nairo Quintana (Movistar) e Rigoberto Uran (Omega Pharma-Quickstep), são colombianos -, Arredondo esclareceu-as, mostrando que a Colômbia é a nação rainha desta edição do Giro, ao saltar da fuga do dia nos três quilómetros finais para coroar-se no alto de Panarotta, no final dos 171 quilómetros da etapa.

"Como vemos no pódio, é um Giro feito para colombianos. Fico muito contente com a vitória de Julián Arredondo e por este levar a camisola da montanha, que também nos identifica como colombianos", sublinhou Quintana, firme na liderança da geral.

O ciclista da Trek, de 25 anos, acelerou para o maior triunfo da sua carreira, num final de subida emocionante, em que a frente da corrida mudou freneticamente à medida que era feita a aproximação da meta, coincidente com uma contagem de primeira categoria.

Depois do belga Thomas De Gendt (Omega Pharma-Quickstep) tentar, outra vez, a sua sorte em solitário, foi a vez do italiano Franco Pellizotti (Androni) saltar da fuga, formada aos 50 quilómetros por 11 ciclistas, também sem sucesso.

Com a harmonia desfeita no grupo, Arredondo tentou a sua sorte. Duarte tentou segui-lo, mas o impulso dado pelo corredor da Trek e a distância conseguida em poucos metros foi inalcançável para o homem da Colombia, que chegou 17 segundos depois do primeiro classificado, que cumpriu a etapa em 4:49.51 horas.

Atrás dos homens da fuga, a batalha pelos lugares de pódio foi inteligentemente anulada pela Movistar que, não só manteve Rigoberto Uran controlado, como ainda conseguiu afastar ainda mais Cadel Evans.

O veterano líder da BMC quebrou na subida, chegando no grupo do português André Cardoso (Garmin), a 04.24 minutos do vencedor da etapa e a 01.45 minutos dos outros favoritos.

Assim, o francês Pierre Rolland subiu ao terceiro lugar, a 03.29 minutos de Quintana, que continua a ter 01.41 minutos de vantagem sobre Uran. No entanto, a margem do ciclista da Europcar é mínima, mais concretamente de dois segundos, sobre Fabio Aru (Astana) e Rafal Majka (Tinkoff-Saxo).

Cardoso é 19.º da geral, estando no bom caminho para fechar a sua estreia no Giro entre os 20 primeiros. Para isso, o português terá de aguentar-se na crono-escalada que, na quinta-feira, vai ligar Bassano del Grappa a Cima Grappa, no total de 26,8 quilómetros.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG