Alberto Contador vence a Tirreno-Adriático

O espanhol Alberto Contador (Tinkoff-Saxo) confirmou esta terça-feira a vitória na clássica Tirreno-Adriático, em Itália, e reentrou na rota dos triunfos em corridas por etapas, ano e meio depois do êxito na Volta a Espanha.

Vencedor de duas tiradas na prova italiana, o madrileno não precisou de forçar nos 9,1 quilómetros do contrarrelógio de San Benedetto del Tronto, bastando-lhe o 29.º lugar na sétima e última etapa, a 41 segundos do vencedor, o italiano Adriano Malori (Movistar).

Após o triunfo na Vuelta de 2012, ano em que regressou à competição após a suspensão por doping na Volta a França de 2010, que lhe valeu a perda da vitória nessa edição, Contador, "campeão" do Tour em 2007 e 2009, cumpriu um ano e meio de "jejum", mas surge agora aparentemente mais voraz.

Relegado pelo polaco Michal Kwiatowski para o segundo lugar da Volta ao Algarve há um mês, Contador anulou a concorrência na quinta etapa, com uma grande exibição no "Muro di Guardiagrele", onde assumiu a liderança definitivamente.

Esta terça-feira o "pistoleiro" pôde gerir tranquilamente a vantagem de 2.08 minutos com que partiu sobre o colombiano Nairo Quintana (Movistar), que até foi três segundos mais rápido (20.º), rodando ao ritmo do português Tiago Machado (NetApp-Endura), 21.º na etapa.

Na frente, Malori, campeão mundial de contrarrelógio de sub-23 em 2008, gastou 10.13 minutos para cumprir o percurso (média de 53,442 km/hora), deixando atrás de si um trio de "monstros" do exercício solitário: Fabian Cancellara, segundo, Bradley Wiggins, terceiro, e Tony Martin, quarto.

O aniversariante suíço (33 anos), quatro vezes campeão mundial e com um título olímpico, ficou a seis segundos, o britânico, atual campeão olímpico, terminou a 11, e o alemão, bicampeão do Mundo, concluiu com mais 15.

Na geral, Alberto Contador terminou com 2.05 minutos de avanço sobre Nairo Quintana, segundo na Volta a França de 2013, e com 2.14 face ao checo Roman Kreuziger, seu companheiro de equipa.

Tiago Machado terminou na 27.ª posição, a 24.47 minutos do espanhol, enquanto Sérgio Paulinho, 60.º no "crono", a 51 segundos de Malori, foi o 68.º no final, a 32.21 minutos do seu chefe de fila.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG