60% das estrelas da NBA ficam na ruína cinco anos após a reforma

Nomes consagrados como Allen Iverson, Dennis Rodman e Scottie Pippen, que acumularam milhões ao longo das respetivas carreiras, garantem: não sobra dinheiro.

Luxos e vícios extravagantes, divórcios multimilionários e uma gestão financeira sem pensar na reforma: estes três pontos estão na base para o facto de 60% dos atletas da Liga Norte-Americana de Basquetebol (NBA) caírem na ruína num espaço de cinco anos após o final das respetivas carreiras. Os números foram avançados pela revista Sports Illustrated, que indica ainda que 79% dos atletas da NFL (Liga de Futebol Norte-Americano) também declaram falência num prazo idêntico.

Latrell Sprewell protagonizou um dos casos mais mediáticos de basquetebolistas que caíram na ruína. Em 2005, o base norte-americano rejeitou um contrato de 26 milhões de euros para jogar três épocas nos Timberwolves. A justificação não poderia ser mais insólita: "Tenho filhos para alimentar." A recusa para ganhar em três anos mais de 50 mil salários mínimos nacionais não o impediu de, ao longo da carreira, acumular cerca de 121 milhões de euros em vencimentos. Uma quantia que se "evaporou".

Hoje, Sprewell está falido, tem hipotecas sobre duas casas e está proibido judicialmente de se aproximar dos seus filhos. A maior parte do seu dinheiro foi investido num iate, que já foi penhorado.

Leia mais no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG