2.600 pessoas envolvidas na organização

A organização do Rali de Portugal, que cumpre este ano a sua 45.ª edição, envolve cerca de 2.600 pessoas, que estarão envolvidas na vertente desportiva e também de segurança, comunicação e imagem.

De acordo com os dados revelados pela organização da prova, e no que respeita ao capítulo da segurança, a GNR mobilizou mais de mil agentes, elementos pertencentes aos comandos de Faro e de Beja, que deverão controlar os acessos às provas especiais de classificação e regular as situações de trânsito nas zonas de passagem da prova.

Já em termos de apoio médico e de segurança foram disponibilizados mais de 400 bombeiros e 120 veículos, enquanto o INEM marcará presença com 220 elementos.

A organização do rali alertou, no entanto, que a colaboração do INEM não implicaria qualquer diminuição na capacidade de resposta dos serviços normais deste organismo ao longo do país, uma vez que são elementos que estão no Algarve fora dos seus horários normais de funcionamento.

A segurança da prova constitui um dos fatores essenciais para que a prova se mantenha entre a elite, pelo que estarão espalhadas 300 pessoas (denominadas pela organização "marshals") ao longo do percurso, que deverão zelar pela segurança e controlo dos espetadores.

Já em termos da organização do evento estão envolvidos 250 elementos, entre controladores, comissários técnicos, controladores de rádio, entre outros.

A 45.ª edição do Rali de Portugal, que vai na quinta-feira para a estrada, está dividida em três etapas, com um total de 17 provas especiais de classificação e com 385,37 quilómetros cronometrados.

O rali tem o seu início durante a tarde do dia 24, com a super especial em Lisboa, prosseguindo a primeira etapa no dia seguinte. As segunda e terceira etapas disputam-se a 26 (sábado) e a 27 (domingo).

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG