"Olhar para o empate é meio caminho andado para as coisas correrem mal", diz Gonçalo Ramos

Numa conferência de imprensa curta, Gonçalo Ramos deixou o mote para o jogo de segunda-feira frente ao Uruguai: pensar em empate é proibido e não vale a pena individualizar nomes no adversário; o foco é ganhar.

O avançado Gonçalo Ramos foi o escolhido para falar ao início da tarde deste sábado em conferência de imprensa, antes do treino da seleção nacional tendo em vista o jogo de segunda-feira com o Uruguai (19.00 horas). Em caso de vitória, a equipa das Quinas está automaticamente apurada para a próxima fase do Mundial.

E foi precisamente essa ambição que Gonçalo Ramos deixou patente nas declarações que fez. Até porque, disse o avançado do Benfica e da seleção nacional, "olhar para o empate é meio caminho andado para as coisas correrem mal". "Uma seleção com a nossa qualidade tem de ser favorita", considerou, acrescentando: "Quanto mais cedo nos apurarmos melhor, para evitarmos azares."

Do outro lado da barricada estará o ex-Benfica Darwin Núñez, com quem Gonçalo Ramos jogou nos encarnados. No entanto, o conhecimento e a proximidade com o uruguaio não serviram para dar conselhos a Fernando Santos. "É um grande jogador, meu amigo, mas estamos prontos para o enfrentar", referiu. Mas que visão tem Gonçalo Ramos da seleção uruguaia? "É uma equipa muito forte e perigosa, estamos no campeonato do Mundo. Não vale a pena individualizar numa equipa com tanta qualidade."

No último Mundial, em 2018, na Rússia, Portugal caiu precisamente frente ao Uruguai. Gonçalo Ramos - que "estava no Algarve, com a família" a ver o jogo - espera que o desfecho, desta feita, possa ser diferente. "Não foi um dia feliz dessa vez, mas espero que possamos sair vitoriosos", disse.

Tendo somado apenas a segunda internacionalização A por Portugal (a primeira foi contra a Nigéria, em Alvalade, antes da partida para o Qatar, em que até marcou um golo), o jovem avançado diz estar a "viver um sonho", onde "todos os dias são especiais". Com Cristiano Ronaldo a discutir a posição mais central no ataque, Gonçalo Ramos olha para CR7 como um exemplo. "É um ídolo para muitos. Tanto eu como o André Silva [o outro ponta-de-lança convocado] podemos aprender, por exemplo ao nível da mobilidade."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG