O novo LeBron ou mais um exagero de marketing?

Australiano é apontado como a próxima grande estrela da NBA e tem as principais marcas desportivas dispostas a ultrapassar os cem milhões de dólares para o contratar

É uma busca contínua. Todos os anos a larga rede de deteção de talentos do desporto profissional norte-americano procura na imensidão dos torneios escolares e universitários o jogador que há de ser "vendido" como a next big thing das principais ligas dos Estados Unidos (NBA, NFL, NHL ou MLB). Nem todos, no entanto, conseguem corresponder às expectativas. Por cada LeBron James - um talento especial (one of a kind) que marca gerações -, há dezenas de jovens promessas cujos rótulos de futuras estrelas caem com maior ou menor estrondo ao primeiro contacto com o mundo profissional.

Vem isto a propósito de Ben Simmons, o basquetebolista sobre quem recai agora o selo de futuro grande craque da NBA. Mesmo se estes fenómenos mediáticos precoces se tornaram já quase uma banalidade, no caso de Simmons ele tem sido promovido ao longo dos últimos tempos como um caso especial entre especiais. O australiano, filho de um ex-basquetebolista norte--americano imigrado, foi comparado aos maiores ainda antes de entrar na universidade. Uma mistura de LeBron James com Magic John-son, auguram os marqueteiros da modalidade.

Com 2,08 metros e uma versatilidade fora do vulgar para o tamanho, Ben Simmons é aquilo a que na gíria basquetebolística se chama um point-forward, um gigante que organiza o jogo desde longe do cesto. Um jogador capaz de saltar junto às tabelas como um poste e de correr o contra-ataque à velocidade de um base. Uma raridade, portanto, destinada a ser a primeira escolha do draft da NBA.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Exclusivos