O adeus ao Kentucky Kid, o mítico 69 do MotoGP

Nick Hayden foi campeão do Mundo em 2006 e não resistiu aos ferimentos, após ser atropelado quando andava de bicicleta em Itália.

Nicky Hayden, campeão mundial de MotoGP em 2006, morreu ontem aos 35 anos. O piloto norte--americano não resistiu aos ferimentos causados por um atropelamento quando circulava de bicicleta, em Rimini (Itália), próxima paragem do Campeonato do Mundo de Superbikes, categoria em que competia atualmente, ao serviço da Honda.

Nicky Hayden ficou conhecido por correr sempre com o número 69, a conselho do pai: "Ele dizia-me sempre que num desporto em que se cai tanto era preciso um número que desse para ler ao contrário. E por isso escolhi o 69." Em 2006 tornou-se uma lenda das duas rodas, quando se sagrou campeão mundial de MotoGP e roubou a coroa ao ídolo Rossi, passando a competir com o número 1 na moto.

Apesar de o norte-americano lhe ter roubado a possibilidade de ser hexacampeão, Rossi e Hayden ficaram amigos. "Era um grandíssimo piloto, um campeão, mas sobretudo uma grande pessoa: amável, cortês e simpático", referiu Valentino Rossi, piloto italiano campeão de MotoGP e amigo do piloto norte-americano. "A nossa relação teve altos e baixos devido a competitividade, mas o Nicky sempre foi cordial", comentou o espanhol Dani Pedrosa. Já Viñales despediu-se no Twitter de "um dos melhores e um bom amigo". E Jorge Lorenzo manifestou a sua tristeza pelo trágico acidente: "Não posso acreditar como a vida pode ser cruel." A família da Fórmula 1 se manifestou. Jason Button ficou "em choque com a notícia" e lamentou: "Outro dos bons que parte cedo demais."

Roubou título ao ídolo Rossi

Nicky Hayden nasceu em 30 de julho de 1981 em Owensboro, Kentucky (EUA), e daí a alcunha de Kentucky Kid, um miúdo que viveu praticamente a vida toda em cima de uma moto. Filho de um piloto profissional de Dirt-Track, subiu pela primeira vez a uma moto com apenas três anos e disputou a sua primeira corrida com cinco.

Tal como os irmãos - Tommy e Roger - destacou-se em competições de Dirt, até aos 13 anos, mas com o tempo percebeu que gostava mais de corridas de velocidade e aos 16 anos passou a profissional.

Em 2000 rubricou um contrato com a Honda e em 2002, com 21 anos, foi campeão norte-americano de Superbikes, sendo o mais jovem campeão da história. Em 2003 chegou à Europa com a fama de ser o novo menino-prodígio norte-americano, e partilhou a box com Valentino Rossi, Alex Barros e Max Biaggi. No primeiro ano no MotoGP terminou o campeonato em quinto, um feito que lhe valeu o prémio de rookie do ano, mas no seguinte teve uma época difícil.

Hayden foi entrando no circuito (2003 e 2015) sem se dar por ele até explodir em 2006. O Kentucky Kid começou a época como piloto número um da Honda, com a responsabilidade de desenvolver a RC 211 V e acabou por vencer o mundial de MotoGP, um dos mais emocionantes de sempre.

Diziam que tinha tanto respeito por Rossi que era incapaz de meter-lhe a roda, mas roubou-lhe a coroa ao fim de cinco títulos consecutivos do italiano. Hayden proclamou-se campeão do Mundo, depois de vencer a última corrida da temporada, em Valência, num final dramático, quando o italiano foi ao chão e entregou de bandeja o título ao americano em 2006.

No ano a seguir a moto passou a ostentar o número 1, mas Hayden não mais descobriu a fórmula do sucesso, ficando sucessivamente fora do top 5 do Mundial. Em 12 anos no MotoGP, de 2003 a 2008 na Honda, entre 2009 e 2013 na Ducati, e depois numa satélite da Honda. Em 2015, deixou o MotoGP pelas Superbikes. Ironicamente foi de bicicleta que perdeu a vida, aos 35 anos, na passada quarta-feira.

Exclusivos