Nunca houve guerreiros tão goleadores como os de Abel

Equipa minhota marcou 62 golos em 27 jornadas (um recorde na história do clube), e dentro de uma semana recebe o Sporting para tentar atacar o terceiro lugar da I Liga

O Sp. Braga chegou aos 62 golos em 27 jornadas, após a goleada ao Desp. Chaves na última jornada (4-1) e estabeleceu um novo recorde na história do clube. Nunca os guerreiros marcaram tanto em 62 anos de I Divisão! Este bom momento surge em vésperas da receção ao Sporting (dia 31) e numa altura em que os dois clubes estão separados por quatro pontos - em caso de vitória, os arsenalistas ficam a um ponto e relançam a luta pelo terceiro lugar.

A temporada mais bem sucedida em golos tinha sido a de 2012-13 com José Peseiro - a equipa chegou à jornada 27 com 55 golos, totalizando 60 no final da época, menos dois do que atualmente à passagem da ronda 27. Esta temporada, o ataque dos minhotos só perde para os do Benfica (71) e do FC Porto (70).

Mas qual é o segredo da veia goleadora da equipa que joga sem ponta-de-lança fixo à imagem de outros tempos - casos de Lima, Éder, João Tomás ou Meyong? Para Barroso, antigo capitão do Sp. Braga e quinto melhor marcador da história do clube (ver entrevista), há vários fatores a contribuir para o sucesso ofensivo dos minhotos: "É uma equipa que tem excelentes jogadores, um bom treinador, a quem o clube tem dado todas as condições para brilhar e que montou uma equipa com uma dinâmica ofensiva difícil de contrariar."

Inspirado no discurso de Napoleão Bonaparte - "é preciso ter coragem para desafiar as forças do adversário" -, Abel, o técnico que "prefere ser um bom homem a um bom treinador", montou uma equipa sem medo de procurar a baliza do adversário e totaliza 13 jogos consecutivos a marcar na I Liga (14 golos nos últimos quatro jogos). A última foi em Chaves e no final o técnico explicou assim o sucesso: "Temos a dinâmica treinada, cada um sabe quais são os espaços que tem de ocupar quando estamos com um bloco mais recuado. Os jogadores levam o chip nas costas e sabem que quem não corre não joga."

Esta época só por três vezes, em 27 partidas do campeonato, a equipa saiu de campo a zeros: nas derrotas com o FC Porto (1-0), Vit. Setúbal (2-0) e Marítimo (1-0). Em todos os outros jogos, o Sp. Braga fez pelo menos um golo. E em alguns com números bem expressivos: dupla goleada ao Estoril (6-0, na jornada 8, e 6-0, na ronda 25), triunfo por números históricos no dérbi do Minho (5-0, em Guimarães, na jornada 23, um resultado como há 61 anos não se verificava) e a goleada ao Belenenses (4-0).

No confronto com os grandes, os guerreiros não foram muito felizes (duas derrotas com FC Porto, 1-0 e 3-1, e com o Benfica, 3-1 e 3-1), salvo o ponto conquistado frente ao Sporting (2-2). Este foi o único empate até agora no campeonato dos bracarenses. Os leões têm menos nove golos marcados (53) do que os minhotos, numa altura em que as duas equipas vão defrontar-se (dia 31 de março) na jornada 28 do campeonato. Um jogo que marca a luta pelo terceiro lugar. Nesta altura, a equipa de Abel é 4.ª classificada (61 pontos), com menos quatro do que o Sporting (65).

O melhor Ricardo Horta

O melhor marcador da equipa é Ricardo Horta. Tem dez golos (os mesmos de Paulinho), mas menos jogos. Bisou por três vezes (Desp. Chaves e Estoril nos dois jogos) e marcou também ao Moreirense, Tondela, Rio Ave e Paços Ferreira.

O avançado atravessa a melhor fase da temporada a nível de golos. Foram seis nos últimos quatro jogos na Liga! Com o bis ao Desp. Chaves, Ricardo Horta chegou aos dez golos, estabelecendo uma nova marca pessoal, que era de nove golos/época.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG