Este relvado produz energia elétrica... basta pisá-lo

Brasil foi pioneiro a desenvolver um projeto inovador numa favela do Rio de Janeiro

Foi inaugurado esta semana em Lagos, na Nigéria, o segundo campo de futebol movido a energia solar, que também usa a energia cinética gerada pelo jogadores. O primeiro campo sustentável foi lançado em 2014 no Brasil e teve a honra de ser inaugurado por Pelé, numa favela do Rio de Janeiro.

Localizado num colégio de Lagos, o campo de futebol inovador foi lançado no ano passado com a colaboração da gigante de energia Shell, a estrela da música Akon, e a empresa Pavegen, uma start-up sedeada no Reino Unido que fornece soluções de energia renovável de baixo custo.

Para Laurence Kemball-Cook, fundador da Pavegen, "o projeto mostra como o mix de energia do futuro vai combinar a energia cinética e solar para melhorar as comunidades."

Como funciona?

Os materiais piezoelétricos permitem uma transformação por pressão ou deslocamento. Quando uma pessoa passa/corre aplica força no chão, conjugando essa força (gravidade) com o deslocamento de 5 mm de uma placa, de cerâmica ou de polímeros, que ao ser pisada pode ser transformada em energia elétrica. Este campo conta com painéis solares e placas de geração de energia, que conseguem carregar as baterias com energia suficiente para 24 horas de luz artificial.

.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG