Nápoles agudiza crise da Juventus, que ainda não venceu

Com o triunfo sobre a vecchia signora (2-1), a equipa napolitana isolou-se provisoriamente na liderança da Serie A, com nove pontos.

No dia em que Ronaldo se estreou no Manchester United, a Juventus voltou a perder, desta vez frente ao Nápoles, por 2-1, na terceira jornada da Liga italiana. A vecchia signora ainda não venceu.

A equipa de Turim foi a primeira a marcar, pelo espanhol Álvaro Morata, logo aos 10 minutos, mas o Nápoles conseguiu a reviravolta na segunda parte, na qual exerceu domínio avassalador, com golos do médio Matteo Politano, aos 57', e do central senegalês Kalidou Koulibaly, aos 85'.

A Juventus surgiu muito desfalcada, com a ausência do seu jogador mais influente, Federico Chiesa, lesionado, e de vários internacionais sul-americanos, como o uruguaio Betancur, o colombiano Cuadrado, o argentino Paulo Dybala e os brasileiros Danilo e Alex Sandro, por decisão do treinador Maximiliano Allegri.

O internacional português Mário Rui foi titular no lado esquerdo da defesa napolitana, tendo sido substituído pelo francês Kevin Malcuit.

Com este resultado, o Nápoles isolou-se provisoriamente na liderança da Serie A, com nove pontos, mais três do que Lazio, Roma, de José Mourinho, Inter Milão, AC Milan, todos com menos um jogo, e do que a Fiorentina, enquanto a Juventus segue num surpreendente 16.º lugar, com apenas um ponto somado em três jogos.

A formação de Florença foi vencer ao vencer no terreno da Atalanta, por 2-1, num jogo com três grandes penalidades. O jovem sérvio Dusan Vlahovic, de 21 anos, converteu dois castigos máximos, aos 33 e 49 minutos, para a formação de Florença, enquanto os anfitriões reduziram, pelo colombiano Zapata, aos 65.

Também hoje, o Veneza somou o primeiro triunfo na competição, ao vencer no terreno do Empoli, por 2-1.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG