Nadal avança para os quartos e segura liderança mundial

Espanhol venceu Diego Schwartzman (6-3, 6-7, 6-3 e 6-3) e vai defrontar Marin Cilic na próxima ronda do Open da Austrália. Dimitrov levou a melhor sobre Kyrgios. Federer joga hoje

O gigante Diego Schwartzman bem tentou, mas Rafa Nadal teve pulso forte e mais uma vez levou a melhor sobre o argentino de 26 anos, por 6-3, 6-7, 6-3 e 6-3, em quase quatro horas de jogo. "Foi a maior batalha desde que voltei à competição, ter vencido prova do que sou capaz", disse o espanhol de 31 anos, que assim marcou encontro com Marin Cilic (derrotou Pablo Carreño Busta) nos quartos--de-final do Open da Austrália.

Com este triunfo, Nadal garantiu matematicamente a continuidade no topo da liderança mundial por alguns meses, mesmo que Roger Federer ganhe em Melbourne e o espanhol fique pelo caminho antes da final. É que o suíço - o único que podia destronar Nadal - não tem qualquer torneio agendado entre o Open da Austrália e o Masters 1000 de Indian Wells, em março, enquanto o espanhol vai jogar o ATP 500 de Acapulco, que pode valer 300 pontos, no final de fevereiro. Por isso, só uma derrota com Marin Cilic, nos quartos, em Melbourne, aliada a um abandono precoce em Acapulco pode dar a Federer a oportunidade de tentar o assalto ao topo mundial antes do início da temporada de terra batida (maio). A primeira batalha do suíço, número 2 do ranking ATP, é hoje, com o húngaro Marton Fucsovics. Novak Djokovic também tenta hoje o acesso aos quartos-de-final. O sérvio tem pela frente o coreano Hyeon Chung.

Quem já está na próxima ronda é Grigor Dimitrov. No jogo grande dos oitavos-de-final, o búlgaro bateu o homem da casa, Nick Kyrgios, pelos parciais de 7-6(3), 7-6(4), 4-6 e 7-6(4). Um duelo emocionante e equilibrado que teve o português Carlos Ramos como juiz de cadeira e um episódio com o australiano, que reclamou de uma decisão: "Eu nunca fiz um footfault, hoje (ontem) você já marcou dois..."

No final, os dois tenistas trocaram elogios. "Eu acho que ele às vezes sente alguma falta de confiança. Disse-lhe para acreditar e que pode ganhar um Grand Slam. Creio que ele ainda nem jogou o seu melhor ténis. Se o fizer, acredito que até possa vencer o torneio", disse o australiano sobre o búlgaro. Já Dimitrov ficou "frustrado" por não encontrar a melhor resposta ao serviço de Kyrgios: "Ele chegou a servir alguns segundos serviços a 200 km/h, o que é que eu podia fazer? Deem-me umas dicas, eu não faço ideia. Estava simplesmente a tentar bloquear a bola." Agora, o búlgaro terá como adversário Kyle Edmund, o britânico de 23 anos, herdeiro de Andy Murray, que chegou pela primeira vez aos quartos de um Grand Slam.

Quem vencer este duelo encontra Rafael Nadal nas meias-finais, caso o espanhol também vença Cilic (carrasco de João Sousa). Confrontado com a presença de Kyle Edmund nos quartos-de-final da 106.ª edição do Open da Austrália, depois de um triunfo suado com o italiano Andreas Seppi, o espanhol não se mostrou surpreendido. "É claro que ele é um bom jogador. Não é uma surpresa. Surpreendeu-me um pouco mais o facto de ele ter perdido muitos jogos em 2017. Eu acredito muito no seu potencial", elogiou o número 1 mundial.

Wozniacki arrasa Rybarikova

No quadro feminino, Caroline Wozniacki precisou de pouco mais de uma hora para vencer a eslovaca Magdalena Rybarikova, por 2-0, pelos parciais de 6-3 e 6-0 . Na próxima fase , a número 2 mundial vai enfrentar Carla Suárez Navarro, que venceu Anett Kontaveit.

Também Elina Svitolina está apurada e pela primeira vez na carreira nos quartos-de-final, após derrotar Denisa Allertova (6-3 e 6-0), em apenas 57 minutos de jogo. A número 4 mundial voltou a mostrar que está em forma.

Hoje há mais dois duelos a ter em conta no Open da Austrália. Angelique Kerber contra Su-Wei Hsieh e o jogo entre Simona Halep e Naomi Osaka.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG