Musa Bility é o único candidato afastado da corrida

Comité de Ética da FIFA aceitou cinco candidaturas, "congelou" a de Platini e excluiu o presidente da Federação Liberiana de Futebol

O Comité de Ética da FIFA admitiu cinco candidaturas à presidência do organismo, remetendo para janeiro uma decisão sobre a lista de Michel Platini, líder da UEFA, que se encontra suspenso.

O organismo, que avaliou todas as candidaturas à presidência, aceitou as do suíço Gianni Infantino, braço direito de Platini e secretário-geral da UEFA, do francês Jérôme Champagne, do jordano Ali Bin Al Hussein, Salman bin Ebrahim Al Khalifa, do Kuwait, e do sul-africano Tokyo Sexwale, e adiou a decisão sobre a de Platini para o fim da sua suspensão.

A única candidatura a ser definitivamente excluída foi a de Musa Bility, presidente da Federação Liberiana de Futebol.

"O Comité decidiu não admitir a candidatura de Musa Hassan Bility, tendo em conta o conteúdo do relatório de verificação de integridade que lhe diz respeito", explica o comunicado da FIFA.

FIFA acrescentou que as razões desta decisão não seriam tornadas públicas e que, caso o entenda, Musa Bility poderá recorrer ao Tribunal Arbitral do Desporto (TAS).

Michel Platini foi suspenso provisoriamente por 90 dias pelo Comité de Ética da FIFA a 08 de outubro deste ano, por implicação no escândalo de corrupção que atinge a instituição, tal como o presidente demissionário do organismo, o suíço Joseph Blatter, o secretário-geral, o francês Jérôme Valcke. (Corrige no título e ao longo do texto a informação sobre a candidatura de Platini, que ainda não foi avaliada).

A 25 de setembro, o Ministério Público suíço instaurou um processo criminal a Blatter, que foi interrogado na qualidade de arguido, por suspeita de gestão danosa, apropriação indevida de fundos e abuso de confiança.

Platini foi ouvido na qualidade de testemunha e acabou por ser implicado no processo, por ter recebido de Blatter um pagamento ilegal, feito "em prejuízo da FIFA", no valor de dois milhões de francos suíços (perto de 1,8 milhões de euros).

As eleições da FIFA estão marcadas para 26 de fevereiro, em Zurique.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG