Selecção com negro historial de 'baixas' de última hora

 Tal como Nani, também Veloso, Kennedy, Bruno Vale ou Quim falharam  grandes provas por casos ou lesões

A lesão de Nani a quatro dias do arranque do Mundial não é caso único. Portugal tem, nos últimos anos, um negro historial de impedimentos de última hora que têm agoirado a selecção nacional, em alturas de preparação para as grandes competições.

A frustração e desalento do jogador português do Manchester United já foi sentida por Veloso, Kennedy, Bruno Vale ou Quim. Futebolistas de diferentes gerações que chegaram a fazer parte do lote de convocados para Mundiais e Europeus, mas que a pouco tempo do arranque das provas tiveram de ser substituídos.

Recuperando a participação portuguesa no Mundial de 1986, no México, é inevitável falar da ausência de Veloso, defesa do Benfica, que ainda em solo português, depois de fazer parte da convocatória do seleccionador José Torres, acusou positivo num controlo anti-doping. Apesar de reclamar inocência e de o teste ter confirmado o erro, com uma contra-prova negativa, Veloso não seguiu viagem.

Caso com contornos semelhantes é o de Daniel Kennedy, então jogador do Marítimo, e uma das surpresas no lote dos eleitos do seleccionador António Oliveira para o Mundial de 2002, disputado no Japão e na Coreia do Sul. O jogador acabou também traído por um controlo anti-doping positivo, quando já estava integrado nos trabalhos da equipa em Macau, regressando a Portugal para ver o Mundial pela televisão.

Quatro anos depois, um novo caso de impedimento de última hora obrigou a uma reformulação no grupo de trabalho previsto para Mundial de 2006. Na altura, o azar bateu à porta do guarda-redes Bruno Vale, do FC Porto, que após ter sido a grande surpresa da lista mágica dos 23 convocados de Luíz Filipe Scolari, acabou por se lesionar ao serviço da selecção sub-21, no Europeu da categoria que se disputou em Portugal semanas antes do Mundial alemão.

A baliza nacional voltou, dois anos mais tarde, a ser motivo de problemas nas vésperas do Euro 2008, na Áustria a Suíça. Quim, guardião do Benfica, fracturou o pulso direito, a escassos dias do arranque da prova, obrigando Scolari a mexer no grupo.

Há outros casos onde o afastamento de atletas de grande provas por lesões aconteceu antes de serem conhecidas as listas oficiais de convocados. Foi o que se passou este ano com Bosingwa, que se lesionou ao serviço do Chelsea, ele que seria um previsível titular, ou Ruben Micael e Varela, estes duas incógnitas nas preferências de Queiroz, mas que lesões no FC Porto afastaram da África do Sul.

Simão também se lesionou nas vésperas de um Mundial, quando em 2002 era candidato a um dos elegíveis, tal como Fernando Gomes, em 86, Humberto Coelho, no Euro de 84, ou Fernando Mendes, no Mundial de 66.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG