Empate não acaba com esperança de chegar longe

Centenas de figuras conhecidas assistiram ao primeiro jogo da selecção no Mundial a convite da Controlinveste.

O ambiente é tenso e os nervos estão à flor da pele. Sentimentos que unem os jogadores portugueses na estreia no Campeonato do Mundo e os adeptos que se juntaram em Lisboa para ver o jogo em directo. Apesar do resultado não ter sido o esperado, no final a esperança ainda dominava o discurso dos presentes no almoço organizado pela Controlinveste. Embora os sorrisos fossem agora menos frequentes.

Antes do início do jogo, a única dificuldade era apontar por quantos golos Portugal ia ganhar. Para Francisco George, director-geral da Saúde, a selecção ia marcar pelo menos dois golos, sem sofrer nenhum. Um resultado expressivo para cumprir o seu feeling:: "Vamos longe neste mundial", dizia. Infelizmente para os portugueses, os jogadores não ouviram estes desejos e o jogo acabou sem golos e com poucas oportunidades para cada equipa.

Talvez por isso, José Manuel Pureza, líder parlamentar do Bloco de Esquerda, tenha considerado o jogo "maçador". E o único momento em que todos os convidados se levantaram foi quando soaram os acordes d'A Portuguesa. O hino foi cantado por muitos dos presentes no restaurante Belém Bar Café, em Lisboa. Depois disso, a sala só voltou a mostrar vida quando Cristiano Ronaldo, aos 10 minutos, rematou ao poste e quando Simão entrou em campo para substituir Danny.  Notou-se pois, a presença de muitos benfiquistas, incluindo o presidente Luís Filipe Vieira, e o autarca Fernanda Seara, na sala.

Ao intervalo, Nelson, ex-guarda-redes do Sporting, ainda tenta explicar a exibição mais apagada de Portugal. "Os jogadores acusaram a responsabilidade do primeiro jogo", justificou, ele que acompanhou o jogo na emissão em directo da TSF.

Também insatisfeito ao intervalo estava Fernando Seara. O presidente da Câmara Municipal de Sintra, que se sentou ao lado de Luís Filipe Vieira, até disse que se estivesse no balneário "dava dois berros aos jogadores". Durante a segunda parte do jogo, o autarca só sorriu quando Rúben Amorim, jogador do Benfica, entrou em jogo para se estrear com a camisola da equipa das quinas.
Um dos poucos presentes a prever o desfecho morno da estreia de Portugal no Mundial da África do Sul foi Eduardo Nascimento. O ex--vencedor do Festival da Canção lembrava antes do jogo: "Se perdermos não vem mal ao mundo", acautelou.

O secretário de Estado do Desporto, Laurentino Dias, esse teve de sair a correr para a Comissão Parlamentar a que tinha de comparecer e que o impedir de ver o jogo. Foi o que menos sofreu...

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG