Merelinense, um clube projetado para estar entre os grandes

Equipa do Campeonato de Portugal é a única sem derrotas nas provas nacionais. E já aponta à subida à II Liga nesta época

O Merelinense é a única equipa dos campeonatos nacionais que não sofreu qualquer derrota esta época. O líder da Série A do Campeonato de Portugal ganhou 13 dos 16 jogos que disputou, concedendo apenas três empates, um registo complementado com 36 golos marcados e apenas sete sofridos. E, se dissermos que este pequeno clube dos arredores de Braga estava há um ano nos distritais, ainda torna o feito mais surpreendente.

O treinador Micael Sequeira, de 43 anos, é um dos principais responsáveis pela extraordinária carreira do Merelinense. "Conheço alguns treinadores e posso dizer que o nosso tem know-how para estar na elite do futebol nacional, penso mesmo que é um desperdício estar no Merelinense, mas ainda bem que está", assegurou ao DN o presidente, António Silva, outro dos mentores desta ascensão incrível de um clube que há um ano tinha 150 sócios pagantes e agora "já vai nos 650 com tendência para subir".

Tendo em conta o percurso de ano e meio de Micael Sequeira no comando técnico da equipa, constata-se que a última vez que o Merelinense foi derrotado foi há quase um ano, precisamente a 14 de fevereiro de 2016, em casa do Forjães para o campeonato pró-nacional da Associação de Futebol de Braga.

Já lá vão 38 partidas oficiais, tendo pelo meio sido eliminado pelo Leixões na Taça de Portugal, mas apenas no desempate por penáltis. Aliás, em toda a época passada a equipa só perdeu quatro jogos, tendo conquistado o campeonato distrital, a Taça da AF Braga e a Taça Campeões do Minho. "Estou confiante que só vamos perder lá mais para a frente, mas não é fácil ganhar sempre. Não sou estúpido, sei que não há equipas invencíveis. Mas o que eu espero mesmo é que a derrota não aconteça nesta época, seria ótimo e sinal de que os objetivos seriam alcançados", diz com orgulho Micael Sequeira.

Os objetivos do Merelinense foram traçados no início da época passada, ainda com a equipa nos distritais, e apontavam a breve prazo para a subida à II Liga, algo que até pode ser alcançado lá para maio, uma vez que a equipa já garantiu o apuramento para o play--off de subida ao escalão profissional. "Quando a minha direção tomou posse tinha como primeiro objetivo subir ao Campeonato de Portugal e neste ano preparar-se para subir à II Liga", revela António Silva, que se orgulha de ter "um clube amador, com jogadores que treinam à noite, mas que funciona como se fosse profissional". "Organizei o clube como se fosse uma empresa. Aqui há amor à camisola, mas há uma mentalidade muito profissional", sublinhou.

Subir sem elevadores mágicos

Atingir já os escalões profissionais foi "sempre um objetivo assumido", até porque o presidente garante que "no Merelinense não há objetivos camuflados". E terá sido essa ambição que seduziu Micael Sequeira, que em 2012-13 conseguiu manter o Trofense na II Liga e teve de abandonar o cargo devido "à entrada de novos investidores".

"Fiquei desiludido, ainda mais quando o telefone nunca mais tocava. Foi então que surgiu o Merelinense. Tive a humildade de baixar aos distritais e acreditei que, sem elevadores mágicos proporcionados por empresários, poderia chegar lá acima porque acredito no meu trabalho", confessou ao DN o técnico, que fez boa parte da sua carreira nas camadas jovens do Sp. Braga, tendo feito estágios com Louis van Gaal no Barcelona e Alex Ferguson no Manchester United.

Ou seja, a aposta feita por Micael Sequeira não podia ter sido melhor, pois a possibilidade de subir já neste ano seria o regresso ao ponto onde tinha ficado em 2013. "Estar na II Liga no próximo ano seria fantástico e o concretizar do sonho de muita gente. Seria extraordinário consegui-lo já no primeiro ano, porque há muitos clubes a investir há muito tempo", resume o treinador, que assume estar, tal como os seus jogadores, "viciado na vitória". Nesse sentido, aponta como primeira meta "terminar sem derrotas a primeira fase" do Campeonato de Portugal, para o qual faltam apenas duas jornadas (amanhã em casa com o Mirandela e no próximo fim de semana em Bragança). Depois, é "preparar bem" a fase de subida e para isso quer que a sua equipa continue "a abordar todos os jogos sem medo".

Exclusivos