Lisboa vai ter 120 mil adeptos espanhóis à solta

Serão 60 mil os adeptos com bilhete e pelo menos outros 60 mil que vêm a Lisboa sentir o ambiente. PSP criou zonas de estacionamento distantes para claques rivais

Entre os adeptos espanhóis que têm bilhete para assistir ao jogo, 60.000, e outros 60.000 que vêm a Lisboa só para participar no ambiente, a PSP conta com a presença de menos 120 mil adeptos dos clubes rivais Real Madrid e Atlético de Madrid. O intendente Paulo Onofre, chefe da área operacional do comando de Lisboa da PSP, explicou hoje, ao início da tarde, em conferência de imprensa, que vão ser criados "parqueamentos no sábado para adeptos organizados com os clubes" e "zonas de estacionamento para adeptos não coordenados com os clubes".

Para os que vêm à solta, a Polícia criou duas zonas para estacionar distantes uma da outra e que vão estar quase totalmente interditas ao trânsito no sábado: uma na Avenida Infante D.Henrique, entre a Praça 25 de Abril e o viaduto de Santa Apolónia, para os adeptos do Real; outra na Avenida da Índia, entre o viaduto de Pedrouços e o cruzamento de Alcântara, para os do Atlético.

Quanto às claques coordenadas com os clubes, e que chegarão em autocarros, haverá parques para as do Atlético de Madrid na zona da Pontinha e áreas de estacionamento para os do Real entre a Avenida Cidade de Praga e a Avenida das Nações Unidas.

O intendente Paulo Onofre chamou a atenção para os seguintes condicionamentos de trânsito no sábado:

1) Avenida Machado Santos, junto ao Estádio da Luz, estará encerrada;

2) Avenida Lusíada: terá uma via encerrada e outra em que o trânsito circulará até ser possível;

3) Avenida da Índia e Avenida Infante D.Henrique: interditas a quase toda a circulação com exceção a transportes públicos, o que também deixará de ser possível a partir de determinada hora.

A PSP aconselha os lisboetas e visitantes a evitarem a circulação automóvel no próximo sábado, em Lisboa, entre as 11.00 da manhã e as 23.00.

A Polícia de Segurança Pública vai ter todos os 7 mil agentes da cidade mobilizados para o jogo de alto risco e pelo menos 500 do Corpo de Intervenção (350 de Lisboa mais 150 dos comandos de Porto e Faro), e ainda elementos de outras áreas como Investigação Criminal, Intervenção Rápida, Patrulhamento, Segurança Aeroportuária, Trânsito, Informações, Cooperação Internacional e todas as valências da Unidade Especial de Polícia (C.I, Grupo de Operações Especiais e Equipas Cinotécnicas). A ótica é a de "policiamento integral".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG