Liliana Cá sexta no disco. Mariana Machado e Cátia Azevedo ficam pelo caminho

Cá conseguiu a segunda melhor classificação portuguesa nos Mundiais deste ano, depois do quinto lugar de Auriol Dongmo no lançamento do peso.

Liliana Cá alcançou na quarta-feira o sexto lugar no lançamento do peso nos Mundiais de atletismo, num sexto dia em que Mariana Machado e Cátia Azevedo terminaram as participações, em Eugene, nos Estados Unidos.

Cá, quinta nos Jogos Olímpicos Tóquio2020, conseguiu a segunda melhor classificação portuguesa nos 18.ºs Mundiais até ao momento, depois do quinto lugar de Auriol Dongmo, no lançamento do peso, com um arremesso do disco a 63,99 metros, a sua melhor marca do ano.

Aos 35 anos, a atleta natural do Barreiro estreou-se com o sexto lugar, igualando o melhor resultado nacional de sempre no disco, que estava na posse de Teresa Machado, com o sexto posto alcançado em Atenas1997.

A lançadora do Sporting ficou a menos de um metro da neerlandesa Jorinde van Kinken (64,97) e da alemã Claudine Vita (64,24), quarta e quinta classificadas, respetivamente, ambas com marcas abaixo do seu recorde nacional (66,40).

Igualmente estreante em Mundiais, a jovem Mariana Machado, de 21 anos, foi eliminada nas meias-finais dos 5.000 metros, apesar de ter melhorado a sua marca em sete segundos e estabelecido o novo recorde nacional de sub-23, com 15.18,09 minutos -- o anterior máximo tinha 20 anos e era detido por Inês Monteiro (15.21,05).

Ao cumprir as 12 voltas e meia em 15.18,09 minutos, que lhe valeu o 12.º lugar na sua série e o 20.º nas meias-finais, a filha de Albertina Machado, sétima nos 10.000 metros em Seul1988 e nos Mundiais Roma1987, subiu ao 'top-10' da distância entre as portuguesas.

A meio-fundista do Sporting de Braga só ficou atrás da recordista nacional Fernanda Ribeiro (14.36,45) e das consagradas Jessica Augusto (14.37,07), Sara Moreira (14.54,71), Inês Monteiro (15.01,06), Albertina Dias (15.05,12), Aurora Cunha (15.06,96), Marina Bastos (15.07,29) e Dulce Félix (15.08,02).

Depois do 17.º lugar em Tóquio2020, e do 31.º no Rio2016, Cátia Azevedo terminou a competição dos 400 metros no 19.º lugar, com 51,79 segundos, na primeira série, na segunda participação em Mundiais, melhorando o 40.º posto de Doha2019.

A velocista natural de Oliveira de Azeméis, de 28 anos, conseguiu a melhor classificação portuguesa na distância de sempre em campeonatos do mundo, superando o 29.º posto de Carmo Tavares (52,86), em Sevilha1999.

Repescada para as semifinais com o 15.º tempo nas eliminatórias (51,55), a atleta do Sporting voltou a falhar a melhoria do seu recorde nacional (50,59), quedando-se pelo sétimo lugar na primeira série, vencida por Shaunae Miller-Uibo, das Bahamas, em 49,55.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG