João Oliveira volta a vencer ultramaratona Milano-Sanremo

A prova tem 285 quilómetros

O português João Oliveira venceu hoje a ultramaratona italiana Milano-Sanremo pelo segundo ano consecutivo.

"Estou mesmo muito feliz, não esperava esta vitória, sobretudo porque no final da prova comecei a ter problemas físicos e pensei que ia perder vantagem, mas consegui", afirmou à Lusa o ultramaratonista natural de Chaves.

O atleta, que liderou grande parte da prova, realçou que vencer pela segunda vez a ultramaratona tem um "sabor especial" porque é um "êxito" difícil de alcançar.

João Oliveira, que o ano passado cumpriu a prova de 285 quilómetros em 30:14 horas, referiu "ter noção" de ter baixado o tempo este ano, mas ainda não sabe o resultado final porque houve um "problema na prova" que fez com que a organização não tivesse os tempos corretos.

"Houve uma derrocada a meio do percurso e, portanto, a estrada foi encerrada e tivemos de ir para o outro ponto de controlo no carro de apoio, logo esse tempo tem de ser retificado pela organização, daí ainda não haver resultados oficiais", explicou.

"Para o próximo ano quer repetir o feito, mas quero conseguir fazê-lo em 28:50 horas", adiantou.

Este ano, o ultramaratonista comentou que teve mais dificuldades porque a cerca de 90 quilómetros do final teve problemas físicos, nomeadamente ao nível gástrico, mas mesmo assim conseguiu uma vantagem de cerca de duas horas sobre o segundo classificado.

"Nos últimos 18 quilómetros, que eram em ciclovia, não consegui comer nada, apenas beber", ressalvou.

O atleta afirmou ter ficado "surpreendido" por haver pessoas que gritavam pelo nome dele quando passava, contando um episódio: "um grupo de ciclistas italianos acompanharam-me nos últimos quilómetros e gritavam por mim, isso dá muito ânimo e força".

Questionado sobre como se superam as dificuldades e se mantém o foco na corrida, João Oliveira, que assumiu não se ter preparado tão bem quanto o ano passado, contou que recebeu uma mensagem escrita no telemóvel de uma pessoa especial que o "encheu de força, alegria e vontade de cortar a meta".

"Não basta correr, é preciso ter quem apoie também", salientou.

A terceira edição da UltraMilano-Sanremo, que evoca a 'clássica' velocipédica Milão-San Remo que foi disputada pela primeira vez em 1907, começou na sexta-feira e termina domingo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG