VAR teria invalidado Mão de Deus? Maradona responde

Astro argentino marcou golo irregular durante o Mundial do México, em 1986

O vídeo-árbitro está na moda. Não apenas pela presença do mesmo em já alguns dos principais campeonatos mundiais, mas sobretudo porque a FIFA confirmou há poucas presenças a utilização do mesmo no campeonato do Mundo da Rússia, que se disputa em junho. Diego Armando Maradona, que em 1986, no Mundial do México, marcou um golo pela Argentina à Inglaterra, eternizado como a 'Mão de Deus', foi esta segunda-feira confrontado com a possibilidade do mesmo ter sido anulado há 32 anos e respondeu de forma irónica.

"O que teria acontecido? Nada, teria jogado contra o VAR", salientou o antigo jogador, que, ainda assim defende a utilização da tecnologia no mundo do futebol.

"Não se pode desligar o futebol da tecnologia, porque esta está em todo o lado. Acredito que o VAR é algo bom porque reflete o que se passa no campo. Não se trata apenas de reconhecer se foi golo ou um fora de jogo", defendeu o argentino em entrevista ao site Omnisport.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.