Uruguai cumpre serviços mínimos mas garante oitavos

Suárez decisivo na 100.ª internacionalização. Resultado também apura Rússia

O Uruguai carimbou o passaporte para os oitavos-de-final - e fez o favor de também carimbar o da Rússia -, ao ganhar por 1-0 à Arábia Saudita, que apresentou sete titulares que serão orientados por Jorge Jesus no Al Hilal. Apesar de os asiáticos terem dado melhor imagem do que no jogo inaugural - goleada sofrida ante os anfitriões (0-5) -, a diferença de valor entre as duas seleções não justifica tamanhas dificuldades dos sul-americanos, que se limitaram a cumprir serviços mínimos.

Depois de um início de jogo equilibrado, Luis Suárez aproveitou uma saída em falso do guarda-redes Al Owais - rendeu Al Maiouf, titular diante dos russos -, para marcar o único golo do encontro, na sequência de um canto apontado por Carlos Sánchez, aos 23 minutos.

O avançado do Barcelona comemorou da melhor forma a 100.ª internacionalização, tornando-se o sexto jogador daquele país a consegui-lo - está agora a 26 jogos de igualar o recordista... Maxi Pereira. Além disso, o atacante de 31 anos converteu-se no primeiro jogador uruguaio a marcar em três Campeonatos do Mundo, juntando-se a quatro lendas no lote de sul-americanos que também o conseguiram: Pelé, Maradona, Batistuta e... Ronaldo.

Sempre sem acelerar muito, a ritmo de cruzeiro, a seleção do debilitado Óscar Tabárez venceu pela primeira vez os dois primeiros jogos de um Mundial des-de 1954 e vai agora discutir o primeiro lugar do grupo com a Rússia, na segunda-feira. Ao que tudo indica, uma vai medir forças com Espanha e a outra com... Portugal.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

Conhecem a última anedota do Brexit?

Quando uma anedota é uma anedota merece ser tratada como piada. E se a tal anedota ocupa um importante cargo histórico não pode ser levada a sério lá porque anda com sapatos de tigresa. Então, se a sua morada oficial é em Downing Street, o nome da rua - "Downing", que traduzido diz "cai, desaba, vai para o galheiro..." - vale como atual e certeira análise política. Tal endereço, tal país. Também o número da porta de Downing Street, o "10", serve hoje para fazer interpretações políticas. Se o algarismo 1 é pela função, mora lá a primeira-ministra, o algarismo 0 qualifica a atual inquilina. Para ser mais exato: apesar de ela ser conservadora, trata-se de um zero à esquerda. Resumindo, o que dizer de uma poderosa governante que se expõe ao desprezo quotidiano do carteiro?

Premium

Adolfo Mesquita Nunes

A escolha de uma liberdade

A projeção pública da nossa atividade, sobretudo quando, como é o caso da política profissional, essa atividade é, ela própria, pública e publicamente financiada, envolve uma certa perda de liberdade com que nunca me senti confortável. Não se trata apenas da exposição, que o tempo mediático, por ser mais veloz do que o tempo real das horas e dos dias, alargou para além da justíssima sindicância. E a velocidade desse tempo, que chega a substituir o tempo real porque respondemos e reagimos ao que se diz que é, e não ao que é, não vai abrandar, como também se não vai atenuar a inversão do ónus da prova em que a política vive.

Premium

Marisa Matias

Penalizações antecipadas

Um estudo da OCDE publicado nesta semana mostra que Portugal é dos países que mais penalizam quem se reforma antecipadamente e menos beneficia quem trabalha mais anos do que deve. A atual idade de reforma é de 66 anos e cinco meses. Se se sair do mercado de trabalho antes do previsto, o corte é de 36% se for um ano e de 45%, se forem três anos. Ou seja, em três anos é possível perder quase metade do rendimento para o qual se trabalhou uma vida. As penalizações são injustas para quem passou, literalmente, a vida toda a trabalhar e não tem como vislumbrar a possibilidade de deixar de fazê-lo.