Uma ilha para quem lançar o dardo além dos 93,09 metros

Prémio raro anunciado pela organização dos Paavo Nurmi Games, na Finlândia. Bater a marca do recorde finlandês vale uma ilha

A Finlândia é um país orgulhoso das suas tradições no atletismo e não há disciplina mais querida dos finlandeses do que o lançamento do dardo, na qual são de longe a nação mais medalhada em Jogos Olímpicos (22 medalhas, sete delas de ouro). Neste ano, essa paixão reflete-se naquele que será provavelmente o mais original e inesperado prémio oferecido por um meeting de atletismo: uma ilha no arquipélago de Turku para quem ultrapassar a marca de 93,09 metros (recorde do país) na prova do dardo dos Paavo Nurmi Games.

Curiosamente, Paavo Nurmi, lenda finlandesa nascida em Turku que dá nome a este meeting anual organizado desde 1957, nada tinha que ver com o dardo. Celebrizou-se como um dos primeiros grandes corredores de meio-fundo e fundo da história, ganhando nove medalhas de ouro e três de prata em Jogos Olímpicos, na década de 1920, além de ter estabelecido 22 recordes mundiais em diversas distâncias entre os 1500 metros e os 20 km. Feitos que lhe valeram ter sido um dos primeiros desportistas finlandeses a ser alcunhado como Finlandês Voador - expressão que depois foi "exportada" do atletismo para o desporto automóvel e outras modalidades.

Mas enquanto os feitos dos finlandeses voadores nas corridas se esgotaram com o polémico Lasse Viren, nos anos 1970 - a Finlândia continua também a ser o país com mais medalhas olímpicas nos 5000 e nos 10 000 metros -, no lançamento do dardo a tradição finlandesa prolongou-se no tempo e a disciplina continua a ser bastante popular no país.

Os organizadores dos Paavo Nurmi Games estabeleceram o repto: quem, no próximo dia 5 de junho, bater a marca do recorde finlandês no lançamento do dardo (que Aki Parviainen estabeleceu em 93,09 metros já há quase 19 anos, em junho de 1999), ganhará então como prémio uma das 20 mil ilhotas do arquipélago de Turku. E há, naturalmente, candidatos entusiasmados.

Para se colocar esta fasquia em perspetiva, refira-se que os 93,09 metros do recorde nacional finlandês constituem a nona melhor marca da história e só foram ultrapassados por três vezes nos últimos 19 anos. No entanto, todas elas aconteceram no ano passado, através de dois atletas alemães que já anunciaram presença em Turku no próximo dia 5 de junho: Johannes Vetter (24 anos), campeão do mundo em título, que lançou o dardo a 94,44 metros em julho passado, em Lucerna; e Thomas Rohler (26 anos), campeão olímpico, que em maio de 2017, em Doha, conseguiu a marca de 93,90. O recorde do mundo continua a ser do checo Jan Zelezny e tem mais de 20 anos: 98,48 metros, desde 1996.

"Isso é mesmo verdade? Uma ilha? Que loucura. Claro que estou interessado", reagiu já o alemão Vetter, principal candidato ao prémio e que neste ano já lançou acima dos 90 metros (91,22), apesar de a época ainda estar no início. Também o campeão olímpico Rohler se mostrou entusiasmado. "É mais um bom motivo para competir em Turku. Espero que a ilha seja suficientemente grande para instalar uma sauna", comentou, ao site da Federação Internacional de Atletismo (IAAF), o vencedor da prova nas duas últimas edições dos Paavo Nurmi Games.

Entre os atletas da casa, o veterano Tero Pitkamaki (35 anos) espera poder defender a tradição finlandesa, ele que venceu em Turku em 2014 e 2015 e tem como melhor marca pessoal 91,53, mas já no longínquo ano de 2005. "Tem de se atirar bem longe para se ganhar esta competição. A marca vencedora começará certamente por nove. Se conseguir chegar em forma ao verão, penso que poderei fazer um lançamento acima dos 90 metros", referiu, também ele desejoso de poder ser "dono de uma ilha".

Ler mais

Exclusivos