Timoneiro vencedor da Americas Cup vai fazer a Volvo Ocean Race

O "Cristiano Ronaldo" da vela internacional de velocidade vai agora fazer a mais difícil maratona da modalidade. E terá como adversário o seu parceiro de sempre.

Pete Burling, o jovem neozelandês timoneiro da equipa que venceu a última edição da Taça América (a "Fórmula 1" da vela), vai integrar a equipa Brunel, uma das sete já inscritas para a maior regata de volta ao mundo à vela, a Volvo Ocean Race (VOR), que se iniciará em 22 de outubro, em Alicante, Espanha.

O neozelandês, de 26 anos, tenta assim alcançar o objetivo maior na carreira de um velejador internacional, a "Santíssima Trindade" da modalidade: somar às medalhas olímpicas que já tem (prata em Londres 2012 e ouro no Rio 2016, ambas na classe 49er) e à vitória na America's Cup de junho deste ano, a vitória na Volvo Ocean Race.

Um único velejador conseguiu alcançar este "troféu" (que os marinheiros de língua inglesa designam por "Triple Crown"), o americano John Kostecki, de 53 anos: foi medalha de prata na classe Soling nos Jogos Olímpicos da Coreia do Sul (1988); triunfou na Volvo Ocean Race (edição 2001/2002); e na Taça América, em 2010, como tático a bordo do BMW Oracle.

O mais interessante é que, na VOR, que está 73 dias de se iniciar, Burling não é o único com a possibilidade de obter este "triplete". Há um outro jovem neozelandês a bordo de um outro barco, o Mapre, que pretende o mesmo. Tem o mesmo currículo olímpico e na Taça América de Burling e pela mais simples de todas as razões: há muito que os dois fazem equipa. Agora defrontar-se-ão, cada um na sua equipa. São os dois super estrelas do desporto neozelandês - tanto assim que foram os porta-estandartes da bandeira do seu país na cerimónia de abertura dos últimos Jogos Olímpicos, no Rio de Janeiro.

Burling chegou hoje à VOR e já iniciou, com o Brunel, a regata Plymouth-Saint Malo, a terceira das quatro que constituem a "etapa zero" da competição, obrigatória para as sete tripulações inscritas mas sem consequências na pontuação. Será um dos timoneiros do barco, cujo skipper, o holandês Bouwe Bekking, é o mais veterano da prova: vai iniciar a sua oitava volta ao mundo. Neste momento o Brunel lidera a frota.

Ao mesmo tempo que competirá contra o seu parceiro de sempre, Burling terá como colega no Brunel um velejador que foi seu adversário na última Taça América. Kyle Langford, australiano, de 28 anos, foi o afinador da vela principal do "Oracle Team USA", a equipa que o Emirates Team New Zealand, com Burling ao leme, venceu, na final da última edição da competição, em junho, nas Bermudas.

À chegada a Plymouth, Peter Burling disse, citado no site da VOR, que, no que toca à vela oceânica, "tem muito que aprender", embora "esteja nisto para vencer", como sempre quando está em competição. "Sempre quis fazer esta prova", garantiu ainda, recordando as vezes que viu a frota chegar a Aukland, a maior cidade do seu seu país.

Exclusivos