Telma Monteiro conquista bronze nos Europeus de judo

Judoca portuguesa alcançou esta quinta-feira a 12.ª medalha em outras tantas presenças em Campeonatos da Europa. Bateu francesa Sarah Leonie Cysique no combate de atribuição do bronze, por ippon

Telma Monteiro (-57 kg) conquistou esta quinta-feira a medalha de bronze nos Europeus de judo, que estão a decorrer na cidade israelita de Telavive, ao bater a francesa Sarah Leonie Cysique no combate de atribuição do último degrau do pódio, por ippon. Foi a 12.ª medalha para a judoca portuguesa em outras tantas participações em Campeonatos da Europa.

A campeã europeia por cinco vezes venceu os dois primeiros combates da fase de grupos, diante da israelita Maayan Greenberg e a croata Tena Sikic, ambas por ippon. Porém, perdeu o terceiro duelo com a kosovar Nora Gjakova, já no ponto de ouro.

Já na fase de repescagem, Telma Monteiro bateu a húngara Hedvig Karakas, um triunfo que lhe assegurou a presença no combate de atribuição da medalha de bronze.

Desde a estreia, em 2004, ainda na categoria -52 kg, Telma Monteiro subiu ao pódio em todos os Europeus em que participou: alcançou cinco medalhas de ouro, seis de bronze e uma de prata (apenas falhando as edições de 2008, 2016 e 2017 por lesão). Foi ainda medalha de bronze nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro (2016) e nos Mundiais do Cairo (2005) e prata nos Campeonatos do Mundo do Rio de Janeiro (2007), Roterdão (2009), Tóquio (2010) e Chelyabinsk (2014).

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.