Targino ia ser o sucessor de Di María, agora procura clube

Tiago Targino chegou a ter pré-acordo para se mudar para a Luz, em 2010, mas uma grave lesão deitou o negócio por terra. Agora, pede uma nova oportunidade na I Liga

Em janeiro de 2010, o Benfica chegou a um pré-acordo com o Vitória de Guimarães para a transferência de Tiago Targino, na altura com 24 anos, prevenindo a saída de Ángel Di María, a seguir ao Campeonato do Mundo que iria realizar-se na África do Sul. O futuro parecia sorrir para o veloz extremo, internacional jovem português, mas o negócio acabou por cair por terra: ironia do destino, Targino sofreu uma grave lesão num jogo entre os encarnados e os vimaranenses.

Ninguém pode prever como teria progredido Targino na Luz, mas a verdade é que a lesão marcou um ponto de viragem e a carreira do jogador não confirmou a promessa dos primeiros anos. Agora, seis anos e muitas voltas depois desse pré-contrato com o Benfica, o extremo faz parte da lista dos 26 jogadores portugueses desempregados divulgada pelo sindicato. Aos 30 anos, o extremo que brilhou no Vitória de Guimarães acredita que irá voltar a jogar na I Liga portuguesa e só pede uma oportunidade.

"A não concretização da ida para o Benfica foi o momento determinante na minha carreira. Foi uma grave lesão [rutura do ligamento cruzado interno do joelho esquerdo] que me deixou dez meses fora dos relvados. Enfim, são ossos do ofício e nada posso fazer para voltar atrás", desabafou ao DN.

Curiosamente, no dia em que regressou à competição, em novembro de 2010, marcou dois golos em Alvalade ao Sporting, aos 78 e 79 minutos, depois de ter entrado aos 62", contribuindo para o triunfo dos vimaranenses por 3-2. Mas o que parecia ser um regresso promissor aos relvados acabou por não ter grandes efeitos práticos, pois só marcou mais um golo durante toda aquela temporada. Permaneceu em Guimarães na primeira metade da época seguinte, tendo depois sido emprestado ao Vitória de Setúbal. Olhanense, AEL Limassol, do Chipre, Jagiellonia Bialystok, da Polónia, Trofense e Académico do Lobito, Angola, onde esteve neste ano, foram as etapas que se seguiram, até chegar aqui... ao desemprego.

"Os clubes angolanos não são profissionais e não me consegui adaptar, por isso decidi regressar a Portugal", referiu, assegurando que está em boa forma, graças ao estágio para jogadores desempregados de iniciativa do Sindicato de Jogadores. "Tenho feito toda a preparação normal de um jogador de futebol, treinando com outros jogadores e por vezes integrado em clubes de divisões secundárias. Estou só à espera de uma oportunidade para mostrar o meu valor... O meu sonho é voltar à I Liga portuguesa e acho que vou realizá-lo, pois não sou um jogador qualquer. Tenho cento e tal jogos no campeonato [122]", atirou.

O extremo lamenta o esquecimento a que diz estar votado. "Muitas vezes, quando os jogadores vão para o estrangeiro para campeonatos um pouco mais fracos nunca mais ninguém se lembra deles. É isso que está a acontecer comigo, mas garanto que estou em forma, embora, infeliz- mente, muita gente não acredite", apontou.

Fazendo uma retrospetiva da carreira, não hesita em eleger o treinador que mais o marcou. "Sem dúvida, o Manuel Machado, que me lançou no Vitória de Guimarães quando eu ainda fazia parte da equipa de juniores. Foi no Vitória que vivi os melhores anos da carreira e serei sempre vitoriano do coração", garante.

Outros desempregados famosos

O estágio organizado pelo Sindicato de Jogadores em julho permitiu a 41 futebolistas encontrarem colocação, entre eles nomes como Neca, Manu e João Coimbra. Mas são ainda 26 os que aguardam com ansiedade, podendo assinar por um clube a qualquer momento, fora da janela de mercado, uma vez que têm estatuto de desempregados. Para além de Tiago Targino, destacam-se três grandes esperanças da formação do Sporting que não confirmaram as expectativas.

O extremo Edgar Marcelino, 32 anos, formou com Paulo Sérgio e Cristiano Ronaldo a mais afamada linha atacante dos escalões jovens do Sporting. Mas, na passagem para sénior, recusou-se a assinar contrato, porque continha uma cláusula de rescisão de 25 milhões de euros.

O ponta-de-lança Luís Lourenço, 33 anos, chegou a ser titular na equipa principal leonina no início da época 2003-04, sob o comando de Fernando Santos. Nos anos seguintes ainda se manteve na I Liga, representando Belenenses, União de Leiria e V. Setúbal, mas depois teve experiências malsucedidas na Grécia, na Roménia e em clubes portugueses de divisões secundárias.

E há ainda o caso de Fábio Paim, de quem Cristiano Ronaldo chegou a dizer que era melhor jogador do que ele próprio nas camadas jovens do Sporting. Depois de passagens por clubes portugueses de divisões secundárias, pela equipa de reservas do Chelsea e por formações de países da China, Luxemburgo, Angola, Lituânia, Malta e Qatar, Paim, hoje com 28 anos, continua à espera de que o telefone toque.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Operação Marquês

Granadeiro chama 5.º mais rico do mundo para o defender

O quinto homem mais rico do mundo, o mexicano Carlos Slim Helú, é uma das 15 testemunhas que Henrique Granadeiro nomeou para serem ouvidas na fase de instrução do processo Marquês. Começa hoje a defesa do antigo líder da Portugal Telecom, que é acusado de ter recebido 24 milhões de euros do GES para beneficiar o grupo em vários negócios.