Jaime Marta Soares garante realização de Assembleia Geral de dia 23

O presidente demissionário da Mesa da Assembleia Geral do Sporting, Jaime Marta Soares, reiterou, em comunicado, a realização da reunião plenária de dia 23 de junho, mesmo sem a colaboração do Conselho Diretivo

"Esclarece-se, de todo o modo, que a Assembleia Geral convocada irá realizar-se ainda que o Conselho Diretivo continue a incumprir com o seu dever de colaboração para a organização e realização da Assembleia Geral, órgão máximo do clube", pode ler-se no documento enviado por Marta Soares.

Num comunicado com nove pontos, o presidente da MAG reforça as razões para realizar a AG, que classifica como a "única atualmente convocada de forma legítima, legal e estatutária", para as 14:00 de dia 23 deste mês, no Altice Arena.

Marta Soares diz ter "desde 24 de maio" um requerimento para "a deliberação da revogação do mandato dos membros do atual Conselho Diretivo", liderado por Bruno de Carvalho, com mais de três mil assinaturas, e acrescenta que recebeu entretanto "mais requerimentos com o mesmo teor".

"Como é do conhecimento público, foi já feita uma tentativa de validação da totalidade das assinaturas constantes do requerimento recebido, tendo sido impedida pelo Conselho Diretivo a colaboração dos serviços do Clube necessária para se proceder a essa validação", denunciou o presidente da MAG.

Marta Soares asseverou ainda manter "a intenção de proceder à validação dessas assinaturas" antes da Assembleia Geral, e diz aguardar que o Conselho Diretivo autorize os serviços para um dever que "cabe exclusivamente ao presidente da Mesa".

A fechar, o presidente da MAG reforça que a palavra será entregue aos sócios, que a pediram "nos termos estatutários", para "os efeitos que entenderam necessários, e no estrito cumprimento da lei e dos Estatutos do Clube, pois o Sporting é 'uma unidade indivisível constituída pela totalidade dos seus associados'".

Na segunda-feira, Marta Soares revelou à Lusa que iria avançar "com duas providências cautelares para garantir tudo o que é importante e fundamental em todas as áreas, não só a segurança, para que a Assembleia Geral do dia 23 de junho se realize".

"Sou o presidente da MAG em exercício e cumpri sempre os estatutos", frisou, reafirmando que as Assembleias Gerais anunciadas por Bruno de Carvalho, presidente da direção do clube, para 17 de junho e 21 de julho "terão resultados nulos e sem nenhum efeito".

A crise no Sporting teve origem na perda do segundo lugar do campeonato, na última jornada, para o Benfica, e acentuou-se dias depois, em 15 de maio, quando cerca de 40 pessoas encapuzadas invadiram a Academia do Sporting, em Alcochete, e agrediram alguns futebolistas e elementos da equipa técnica, com a GNR a deter 23 dos atacantes, que ficaram em prisão preventiva.

Na sequência destes incidentes, os futebolistas Rui Patrício e Daniel Podence apresentaram a rescisão por justa causa, em 01 de junho, o treinador Jorge Jesus rescindiu por mútuo acordo para assinar pelos árabes do Al Hilal, e na segunda-feira, mais quatro jogadores rescindiram unilateralmente.

Depois destes acontecimentos, a maioria dos membros da Mesa da Assembleia Geral (MAG) e do Conselho Fiscal e Disciplinar (CFD) e parte da Direção apresentaram a sua demissão, defendendo que o presidente Bruno de Carvalho não tinha condições para permanecer no cargo.

Após duas reuniões dos órgãos sociais, o presidente demissionário da MAG, Jaime Marta Soares, marcou uma Assembleia Geral para votar a destituição do Conselho Diretivo (CD), para 23 de junho -- sobre a qual foi interposta uma providência cautelar para a sua realização pela MAG que foi indeferida liminarmente pelo Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa - e criou uma comissão de fiscalização para evitar o vazio provocado pela demissão da maioria dos elementos do CFD.

O CD do Sporting, afirmando que não reconhece legitimidade à MAG, nomeou uma Comissão Transitória da MAG, que, por sua vez, convocou uma Assembleia Geral Ordinária para 17 de junho, para aprovação do Orçamento da época 2018/19, análise da situação do clube e para esclarecimento aos sócios, e marcou uma AG eleitoral para a MAG e para o CFD para 21 de julho.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

João Gobern

Tirar a nódoa

São poucas as "fugas", poucos os desvios à honestidade intelectual que irritem mais do que a apropriação do alheio em conluio com a apresentação do mesmo com outra "assinatura". É vulgarmente referido como plágio e, em muitos casos, serve para disfarçar a preguiça, para fintar a falta de inspiração (ou "bloqueio", se preferirem), para funcionar como via rápida para um destino em que parece não importar o património alheio. No meio jornalístico, tive a sorte de me deparar com poucos casos dessa prática repulsiva - e alguns deles até apresentavam atenuantes profundas. Mas também tive o azar de me cruzar, por alguns meses, tempo ainda assim demasiado, com um diretor que tinha amealhado créditos ao publicar como sua uma tese universitária, revertido para (longo) artigo de jornal. A tese e a história "passaram", o diretor foi ficando. Até hoje, porque muitos desconhecem essa nódoa e outros preferiram olhar para o lado enquanto o promoviam.