Japão bate Colômbia reduzida a dez desde os 3 minutos (1-2)

Kagawa e Osako marcaram para os nipónicos, Quintero para os sul-americanos. Colombianos a jogar com dez desde os 3 minutos

O Japão venceu esta terça-feira a Colômbia por 2-1, em Saransk, naquele que é o primeiro jogo do Grupo H, que também inclui Polónia e Colômbia.

Com James Rodriguez no banco devido a fadiga muscular, os colombianos cedo foram confrontados com desvantagem numérica e no marcador, devido à expulsão de Carlos Sánchez por mão na bola na área cafetera e consequente grande penalidade convertida por Kagawa, aos 6 minutos.

Contudo, a seleção colombiana não deixou de correr atrás de um melhor resultado, e chegou mesmo à igualdade por intermédio de Juan Quintero, precisamente o substituto de James no onze. O jogador ainda vinculado ao FC Porto optou por fazer passar a bola por baixo da barreira, e fê-la entrar na baliza (39'), igualando o encontro num lance que necessitou da validação da Tecnologia da Linha de Baliza.

Na segunda parte, já com James em campo, a Colômbia acusou o desgaste provocado por estar a jogar apenas com dez unidades. Aproveitou o Japão para criar mais oportunidades e chegar ao segundo golo, por Osako (73'), de cabeça, na resposta a um canto de Honda pelo lado esquerdo.

Acompanhe o resultado e as estatísticas dos jogos desta segunda-feira clicando no gráfico que se segue

Colômbia - Japão (1-2, resultado final)
Polónia - Senegal (16.00 horas)
Rússia - Egito (19.00 horas)

Exclusivos

Premium

história

A América foi fundada também por angolanos

Faz hoje, 25 de agosto, exatos 400 anos que desembarcaram na América os primeiros negros. Eram angolanos os primeiros 20 africanos a chegar à América - a Jamestown, colónia inglesa acabada se ser fundada no que viria a ser o estado da Virgínia. O jornal The New York Times tem vindo a publicar uma série de peças jornalísticas, inseridas no Project 1619, dedicadas ao legado da escravatura nos Estados Unidos. Os 20 angolanos de Jamestown vinham num navio negreiro espanhol, a caminho das minas de prata do México; o barco foi apresado por piratas ingleses e levados para a nova Jamestown. O destino dos angolanos acabou por ser igual ao de muitos colonos ingleses: primeiro obrigados a trabalhar como contratados e, ao fim de alguns anos, livres e, por vezes, donos de plantações. Passados sete anos, em 1626, chegaram os primeiros 11 negros a Nova Iorque (então, Nova Amesterdão) - também eram angolanos. O Jornal de Angola publicou ontem um longo dossiê sobre estes acontecimentos que, a partir de uma das maiores tragédias da História moderna, a escravatura, acabaram por juntar o destino de dois países, Angola e Estados Unidos, de dois continentes distantes.