Japão bate Colômbia reduzida a dez desde os 3 minutos (1-2)

Kagawa e Osako marcaram para os nipónicos, Quintero para os sul-americanos. Colombianos a jogar com dez desde os 3 minutos

O Japão venceu esta terça-feira a Colômbia por 2-1, em Saransk, naquele que é o primeiro jogo do Grupo H, que também inclui Polónia e Colômbia.

Com James Rodriguez no banco devido a fadiga muscular, os colombianos cedo foram confrontados com desvantagem numérica e no marcador, devido à expulsão de Carlos Sánchez por mão na bola na área cafetera e consequente grande penalidade convertida por Kagawa, aos 6 minutos.

Contudo, a seleção colombiana não deixou de correr atrás de um melhor resultado, e chegou mesmo à igualdade por intermédio de Juan Quintero, precisamente o substituto de James no onze. O jogador ainda vinculado ao FC Porto optou por fazer passar a bola por baixo da barreira, e fê-la entrar na baliza (39'), igualando o encontro num lance que necessitou da validação da Tecnologia da Linha de Baliza.

Na segunda parte, já com James em campo, a Colômbia acusou o desgaste provocado por estar a jogar apenas com dez unidades. Aproveitou o Japão para criar mais oportunidades e chegar ao segundo golo, por Osako (73'), de cabeça, na resposta a um canto de Honda pelo lado esquerdo.

Acompanhe o resultado e as estatísticas dos jogos desta segunda-feira clicando no gráfico que se segue

Colômbia - Japão (1-2, resultado final)
Polónia - Senegal (16.00 horas)
Rússia - Egito (19.00 horas)

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.