Sérgio Ramos: "Parece que estamos num funeral... há que virar a página rapidamente"

Capitão da seleção espanhola falou sobre a saída de Lopetegui para o Real Madrid e disse que prefere ter Ronaldo do seu lado que contra si...

"A Espanha deve estar acima de qualquer nome próprio. O Fernando [Hierro] é a pessoa indicada para substituir a ausência de Julen [Lopetegui]. É um homem que todos admiramos já há muito tempo." Foi assim que o capitão da Espanha abordou a saída do selecionador para assumir o comando do Real Madrid.

O central merengue admitiu ter tido conhecimento de "algumas coisas", pois quando se é capitão, "sabe-se um pouco mais", mas garante que não teve influência no que se passou e preferiu não dizer o que pensa do assunto: "Depois do Mundial que cada um diga o que pensa."

Para já é preciso dar um passo e frente: "Parece que estamos num funeral... há que virar a página rapidamente."

Sobre Portugal e Ronaldo

Sérgio Ramos prefere ter Cristiano Ronaldo a seu favor do que contra, o que vai acontecer esta sexta-feira. "Prefiro tê-lo na minha equipa do que contra. É um perigo constante. Têm [Portugal] uma seleção completa e uma defesa compacta que transmite segurança. Vai ser um jogo muito atrativo para todos os que gostam de futebol. Mas amanhã não desejo nada de bom a Ronaldo", disse o central do Real.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Escapar à Síria para voltar à Arménia de onde os avós fugiram

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.