Serena Williams já estava grávida quando se tornou recordista da Era Open

Tenista anunciou gravidez nas redes sociais

Serena Williams anunciou esta quarta-feira, através das redes sociais, que está grávida de cinco meses. O que significa que a tenista já estava grávida de oito semanas quando conquistou o 23.º título do 'Grand Slam'.

Aos 35 anos, Serena Williams derrotou a irmã Venus Williams, no Open da Austrália, e tornou-se recordista de triunfos em provas do 'Grand Slam' na Era Open.

Williams não joga qualquer torneio desde a final do Open da Austrália, em janeiro, e não deverá voltar a jogar este ano, conforme adiantou a sua porta-voz disse à ESPN. A tenista deverá voltar aos courts apenas em 2018.

Williams publicou na quarta-feira uma fotografia no Snapchat em que aparecia de fato de banho. Sobre a imagem, lia-se "20 semanas" e notava-se a barriga da atleta.

Desde então multiplicam-se comentários nas redes sociais sobre a gravidez e várias pessoas deram os parabéns à desportista por mais uma vitória.

"Este bebé será o melhor de sempre. Estamos muito felizes e sabemos que a Serena Williams será uma ótima mãe", escreveu Andy Roddick, ex campeão da US Open.

"Um bebé e um casamento? Serena Williams tem um ano muito especial pela frente. Muito feliz pela sua trajetória", comentou a tenista Chris Evert, que venceu o Grand Slam 18 vezes, segundo a BBC. Serena Williams ficou noiva do co-fundador do Reddit Alexis Ohanian em dezembro.

"'Tia Caro' soa-me muito bem. Toda a gente à minha volta está grávida. Que altura fantástica", disse Caroline Wozniacki, amiga de Williams e antiga número um do ténis mundial.

Ler mais

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.