"Atualmente, realidade de Renato Sanches é a seleção sub-21"

Lista de 25 jogadores será reduzida a 23 até dia 6 de julho. João Cancelo, Ruben Neves e Gonçalo Guedes, todos eles internacionais A, vão ajudar a trazer o título para Portugal

O selecionador Rui Jorge anunciou 25 nomes tendo em vista o Europeu sub-21 da Polónia, no qual Portugal está inserido num grupo ainda composto por Espanha, Sérvia e Macedónia. A lista é composta por alguns internacionais A, como o campeão da Europa Renato Sanches e ainda Ruben Neves, Gonçalo Guedes e João Cancelo.

O treinador da seleção portuguesa de futebol de sub-21 afirmou que Renato Sanches está consciente que a realidade atual dele é a equipa que vai disputar o Europeu da categoria, para o qual foi convocado.

O jovem médio, de 19 anos, foi preterido da convocatória da seleção A para a Taça das Confederações, tendo sido chamado para o Euro2017 de sub-21, que se disputa na Polónia, entre 16 e 30 de junho.

"O Renato viveu uma experiência, que, a nível de sub-21, nunca lhe vamos conseguir dar [Euro2016], mas é um jogador que percebe que a realidade dele, nesta altura, é a seleção sub-21. Aproveito para pedir que o tratem como um jogador de sub-21", afirmou Rui Jorge, em conferência de imprensa.

De resto, o técnico luso, que falava após ter anunciado uma primeira lista de 25 jogadores para a fase de final da prova, destacou a vivência do médio do Bayern de Munique na seleção principal, à semelhança do que sucede com outros atletas que foram incluídos no lote de jogadores sub-21.

"O Cancelo, o Rúben Neves, o Ricardo Horta também já estiveram todos na seleção principal. A vivência de seleção A é sempre importante mas eles sabem que a sua vida é o presente. Para terem um bom futuro têm de cuidar do presente", referiu.


Desta lista inicial serão retirados dois elementos até 6 de julho.


Eis a lista

GUARDA-REDES
Bruno Varela (V. Setúbal)
Joel Pereira (Manchester United)
Miguel Silva (V. Guimarães

DEFESAS
Fernando Fonseca (FC Porto)
João Cancelo (Valencia)
Rebocho (Moreirense)
Kevin Rodrigues (Real Sociedad)
Edgar Ié (VIllarreal/Belenenses)
Tobias Figueiredo (Nacional)

MÉDIOS
Rúben Neves (FC Porto)
Francisco Ramos (FC Porto)
Renato Sanches (Bayern Munique)
Francisco Geraldes (Moreirense/Sporting)
João Carvalho (Benfica/V. Setúbal)
Bruno Fernandes (Sampdoria)
Rony Lopes (Lille)

AVANÇADOS
Diogo Jota (FC Porto)
Podence (Moreirense/Sporting)
Gonçalo Guedes (Paris Saint-Germain)
Iuri Medeiros (Boavista)
Ricardo Horta (Sp. Braga)
Bruma (Galatasaray)
Gonçalo Paciência (Olympiacos/Rio Ave)




EM ATUALIZAÇÃO

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

O populismo entre nós

O sucesso eleitoral de movimentos e líderes populistas conservadores um pouco por todo o mundo (EUA, Brasil, Filipinas, Turquia, Itália, França, Alemanha, etc.) suscita apreensão nos países que ainda não foram contagiados pelo vírus. Em Portugal vários grupúsculos e pequenos líderes tentam aproveitar o ar dos tempos, aspirando a tornar-se os Trumps, Bolsonaros ou Salvinis lusitanos. Até prova em contrário, estas imitações de baixa qualidade parecem condenadas ao fracasso. Isso não significa, porém, que o país esteja livre de populismos da mesma espécie. Os riscos, porém, vêm de outras paragens, a mais óbvia das quais já é antiga, mas perdura por boas e más razões - o populismo territorial.